O mal do século: Pessoas preocupadas e estressadas demais!

o-mal-do-seculo-pessoas-preocupadas-e-estressadas-demais

O mal do século: Pessoas preocupadas e estressadas demais!

A cada século uma doença se instala. Neste mundo pós moderno, a era digital tornou o mundo uma “Aldeia Global”. Tudo é instantâneo e o mundo de instantes não nos dá trégua.

Ninguém desconecta, porém as conexões por afinidades estão escassas.

A liga existencial que unia as pessoas, em longas conversas, com seus silêncios, hiatos cheios de pensamentos, que nos permitiam exteriorizar sentimentos, estão cada vez mais raros.

Quando foi a última vez que você teve uma conversa de qualidade com outra pessoa?

Você lembra quem lhe tocou com os olhos?

Quem lhe compreendeu num sorriso?

Todos estamos inseridos num mundo virtual, cada qual com seu “avatar” a produzir “conteúdo de valor” para que seus milhares de amigos virtuais, o sigam, curtam, comentem, compartilhem vem causando estresse e preocupação em muitas pessoas.

Quem lê quem? Quem investe tempo para apreciar com olhos e ouvidos atentos o que o outros produziram?
Essa volatilidade, onde a “roda da vida” gira freneticamente e nos escorre o tempo sem sequer estarmos conscientes para a contemplar uma paisagem, o sabor de uma comida, o cheiro agradável de algo ou de alguém…

A ansiedade é o mal do século sim, mas a preocupação e o estresse são seus aliados.

Somos todos o Coelho de Alice no País das Maravilhas: …”Tanto a fazer, tanto a fazer e tão pouco tempo”…

Todos os portadores de transtornos de ansiedade, vivem também momentos de depressão. Mesmo não sendo clinicamente depressão, que é doença crônica e de difícil manejo, a pessoa ansiosa se sente em um “elevador mental”, ora no estresse, ora em estado de humor deprimido.

Essas oscilações deixam qualquer um esgotado, esvaziado de sentido e sem condições de retirada de prazer da sua própria existência.

Somos seres marcados pela finitude. A morte é o que temos de mais democrático e certo. Mas é preciso viver com qualidade antes de morrer! É preciso rever a rotina, a alimentação, reformular agenda, trabalhar, se informar, produzir, gerar conteúdo, deixar um legado, isso é muito saudável.

Assim como também se reconectar à natureza, ter uma respiração consciente, manter a qualidade das relações, ter engajamento real com pessoas do mundo físico e concreto. Essas coisas alinhadas na vida cotidiana, ajudam a equilibrar a vida.

O mundo tem pressa, mas a vida exige um pouco mais de calma. Se o que você faz, custa o preço da sua paz, tá caro demais!

Um dia tem 24 horas e cabe tudo, cabe atividade física, alimentação saudável, trabalho, família, lazer, sono reparador.

Se o mundo está devorando a sua alma, se o tempo corrói seus pensamentos, busque por ajuda profissional, pois o mal do século já fez morada em seu ser. Tratar ansiedade, depressão, síndrome do pânico, fobias, Toc… hoje é uma necessidade, da qual não podemos abrir mão, não brinque com a sua vida, aproveite-a, ela é bela e maravilhosa.

No mundo das máquinas ainda somos “humanos, demasiadamente humanos, por isso, humaniza-se. Aceite as pessoas e as coisas como são, não tente controlar a vida, procure soluções simples para os obstáculos do dia a dia e leve a sua vida de uma maneira mais leve, você vai ver que perdeu tempo demais se preocupando com tudo e se estressando com todos.

Relaxa! E procure ajuda caso não consiga relaxar sozinho. Pedir ajuda é sinal de sabedoria e amor-próprio.

Cuide-se para não se deixar vencer por esse mal. Se queira bem e se preocupe apenas com a sua saúde.

*texto de Fabiano de Abreu – Doutor e Mestre em Psicologia da Saúde pela Université Libre des Sciences de l’Homme de Paris; Doutor e Mestre em Ciências da Saúde na área de Psicologia e Neurociência pela Emil Brunner World University;Mestre em psicanálise pelo Instituto e Faculdade Gaio,Unesco; Pós-Graduação em Neuropsicologia pela Cognos de Portugal; Três Pós-Graduações em neurociência,cognitiva, infantil, aprendizagem pela Faveni; Especialização em propriedade elétrica dos Neurônios em Harvard; Especialista em Nutrição Clínica pela TrainingHouse de Portugal. Neurocientista, Neuropsicólogo, Psicólogo, Psicanalista, Jornalista e Filósofo integrante da SPN – Sociedade Portuguesa de Neurociências – 814, da SBNEC – Sociedade Brasileira de Neurociências e Comportamento – 6028488 e da FENS – Federation of European Neuroscience Societies-PT30079. E-mail: deabreu.fabiano@gmail.com

*Foto de Keren Levand no Unsplash

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS






COMENTÁRIOS




Fabiano de Abreu Rodrigues é psicanalista clínico, jornalista, empresário, escritor, filósofo, poeta e personal branding luso-brasileiro. Proprietário da agência de comunicação e mídia social MF Press Global, é também um correspondente e colaborador de várias revistas, sites de notícias e jornais de grande repercussão nacional e internacional. Atualmente detém o prêmio do jornalista que mais criou personagens na história da imprensa brasileira e internacional, reconhecido por grandes nomes do jornalismo em diversos países. Como filósofo criou um novo conceito que chamou de poemas-filosóficos para escolas do governo de Minas Gerais no Brasil. Lançou o livro ‘Viver Pode Não Ser Tão Ruim’ no Brasil, Angola, Espanha e Portugal.