O fato é que as pessoas tóxicas estão em todos os lugares…

Patricia Pessanha

Ambientes tóxicos e pessoas tóxicas

Em muitas situações, não tem jeito. Você terá que suportar lugares e/ou pessoas tóxicas a sua volta. Pessoas que não contribuem para o crescimento de ninguém, que somente enxergam o próprio umbigo ou interesse… ou pior ainda, pessoas que simplesmente têm por passatempo ou simples hábito a prática de aliar-se a outros semelhantes para tornar a vida de terceiros menos afável, seja de forma ostensiva, seja de forma implícita.


Vivemos num mundo em que a competitividade, o ego e a falta de maturidade ainda imperam. Parece fácil ser desagradável com o outro e depois se dizer um “bom samaritano” por frequentar a igreja, fazer boas ações no natal (quando é moda!) e alardear seu suposto “bom senso” (porque afinal de contas, todos se acham titulares desta qualidade. A falha está sempre no outro).

E se lhe é concedido o “Poder”? Sim, aí conhecemos a verdadeira face de muitos. E então aquele que continua a dar bom dia ao porteiro é visto como a criatura mais humana da face da terra.
E talvez, a considerar que muitos nestas situações conseguem hostilizar até a própria imagem refletida no espelho, talvez seja mesmo um exemplo a ser exaltado.

Entretanto, se os egoicos soubessem que suas condutas pobres acabam colaborando para o crescimento pessoal e desenvolvimento da resiliência de suas vítimas, talvez preferissem fazer o bem, ainda que por maldade!

Então, meu caro, se você está do “lado negro da força” reflita sobre o tema. Ainda há tempo de deixar sua marca no mundo pelas boas lembranças ao invés de ser lembrado como o estorvo na vida de alguém. Não permita que sua personalidade seja dominada pela falta de empatia ou por outras características pouco dignas.

Permita-se ser aquele que controla o ego e não é controlado por ele. Permita-se ser aquele que vê o valor nas coisas simples. Permita-se ser aquele que enxerga nas pessoas muito além da superficialidade e sempre focando em algo de bom, porque todos têm algo de bom a oferecer. E exija de si mesmo oferecer – a quem quer que seja – a parte boa de si mesmo também.

Se você está do outro lado e costuma suportar o perfil trevoso de alguns, lembre-se que tudo é transitório e que seu crescimento é inevitável. Talvez você agradeça pelo exercício de resiliência que foi obrigado a exercer.

Chegará o dia em que sua pele talvez esteja já tão calejada, que seu tato somente terá percepção para aquilo que lhe faz bem.

Perceberá então que, como um peixe, estar submerso na água não significa que está esteja dentro de você. E você manterá a sua beleza, as suas cores e sua capacidade de nadar na direção que quiser.

O fato é que as pessoas tóxicas estão em todos os lugares. Ser uma destas ou ser aquela que contribui para um ar mais respirável é uma opção. Faça a sua. Como deseja ser lembrado?

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Patricia Pessanha
Patricia Oliveira Lima Pessanha, nascida em Petrópolis/RJ, atualmente residente em Santos/SP. Cultua bons livros, boa música, cinema, humor inteligente e se diz uma eterna aprendiz. Tem dentre seus hobbies explorar seu lado criativo, em especial através da escrita, buscando convidar o leitor à reflexão e contribuir para um mundo melhor, ainda que de forma singela.

COMENTÁRIOS