O ansioso faz muita coisa ao mesmo tempo para tentar preencher o seu vazio existencial. Chega uma hora que junta tudo e o excesso de afazeres gera um esgotamento emocional.

O ansioso se sente perdido e alimenta medos, alguns conscientes, outros inconscientes, que o faz carregar muito mais pesos do que ele pode suportar.

O ansioso se ocupa dos problemas dos outros para não ter que enfrentar suas próprias questões porque não sabe lidar com elas.

Essa falta de atenção as suas emoções, afetam o seu comportamento diante da realidade que se apresenta e o leva a fazer escolhas ruins para a sua vida.

O ansioso, geralmente, trava e se sabota quando precisa tomar uma decisão importante porque não tem uma boa relação consigo mesmo. Ele, frequentemente, fala mal de si mesmo, reproduz pensamentos negativos e acaba acreditando nas próprias desculpas.

Ele foge da verdade porque não se aceita como é, e também, tem dificuldade de aceitar os outros como são. Ele cria cenários irreais e sente como se realmente fossem acontecer.

Seus julgamentos, quase sempre, são muito contraditórios, às vezes se defende, se justifica, se vitimiza, outras, se coloca no olho do furacão.

O ansioso procura esconder o que sente e de tanto tentar disfarçar, ele acaba se afogando no mar das suas emoções.

Esse descontrole emocional é fruto da incoerência.

O ansioso pensa uma coisa, fala outra, sente o oposto e age diferente, ele se confunde e não consegue entender a si mesmo.

Essa confusão interior faz a sua vida perder o significado, já que ele nem sabe ao certo que o faz feliz, pior, o que realmente importa.

Essa sensação de vazio, mesmo com tantas obrigações e afazeres é sentida fisicamente como um sufocamento, ele se incomoda com tudo e com todos, mas o que mais o incomoda está dentro dele.

Esse estado emocional faz com que o ansioso não consiga perceber as bênçãos que ele já possui em sua vida, e mesmo que ele perceba, ele não consegue se sentir feliz com nada, ou quase nada.

As dúvidas e expectativas o levam a se frustrar e a se decepcionar, constantemente.

Ele não quer mais acreditar nas pessoas porque não suporta mais ter que enfrentar situações parecidas.

Esse sentimento de vazio é angustiante porque não o deixa se sentir satisfeito com as oportunidades que a vida o oferece.

Nada nem ninguém é bom o bastante. E pior, ele não se sente o suficiente bom também, mesmo tentando, constantemente, provar o contrário.

Esse vazio que o ansioso sente é a falta de si mesmo. É sua alma implorando para ser ouvida, para ser amada, para ser colocada em primeiro lugar.

Mas o ansioso não para, ele está sempre fazendo alguma coisa, mas nada o preenche, ele não consegue silenciar a mente para ouvir o coração. Ele precisa ouvir o que a sua alma precisa, mas só enxerga problemas, alguns que ele se envolve por vontade própria, outros, que ele mesmo cria.

Se você se sente ansioso, você precisa buscar a raiz do problema, o que gerou esse sentimento e esse vazio que não te deixa viver plenamente. E você não precisa fazer esse caminho sozinho, me chame no direct @rhamuche, agende uma consulta individual e decida ser o protagonista da sua vida.

*DA REDAÇÃO RH. Texto de Robson Hamuche, idealizador do Resiliência Humana, terapeuta transpessoal e Constelador Familiar.

Foto de Roksolana Zasiadko no Unsplash

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

RECOMENDAMOS









Robson Hamuche é Terapeuta transpessoal com especialização em constelação familiar, compõe a equipe de terapeutas do Instituto Tadashi Kadomoto (ITK). É também idealizador e sócio-proprietário do Resiliência Humana, grupo de mídia dedicado ao desenvolvimento humano, que reúne informação de qualidade acerca de todo o universo do desenvolvimento pessoal, usando uma linguagem leve e acessível.