O amor de verdade é leve e não incomoda

Guilherme Moreira Junior

Você pode querer encontrar os mais variados significados do amor, mas nenhum deles vai bater com o que sente. Sabe porquê? Porque o amor não é isso que você tira de uma caixa, montado e pronto para consumo. O amor de verdade não tem um manual, mas só dura se for leve.

Nunca acreditei quando me falaram que o amor de verdade é uma utopia. Que é uma sorte na vida esbarrar com outro coração que saiba despejar intensidade, parceria e paciência. Discordo plenamente de quem desistiu de ver o amor com o olhar da realidade. Não é como se eu tivesse desenhado o jeito certo do amor dentro de mim e que só as coisas que sinto devam ser consideradas. Apenas penso que, na disposição ideal, é possível fazer de uma relação amorosa algo saudável e recíproco.

Depende dos envolvidos, lógico. Mas não é um grande mistério abraçar o amor compartilhado. Entender que um relacionamento não é uma competição já é meio caminho andado. Deixar os egos de lado, também. Trocar farpas e coices com quem você ama é descuidar daquilo que os uniu. A leveza de um amor de verdade está naquilo que cada metade procura entregar. É uma conversa entre corações, sabe? É olhar nos olhos e respeitar os caminhos da pessoa que está com você. Sem nada forçado. Simplesmente porque vocês são diferentes que combinaram de serem melhores para o mundo e para cada um.

O amor de verdade não incomoda, não tira o ar do lugar e nem traz peso para o instante. Ele é tão natural quanto consegue ser. E isso é uma das maiores recompensas de estar num relacionamento maduro, onde o amor provoca e te empurra para sensações maiores e de paz.

Leve. Precisa ser leve em qualquer dia, em qualquer situação. Se doer no peito é tudo, menos amor. Só perca o sono por amor em caso de consenso para uma noite de urgências.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS





COMENTÁRIOS




Guilherme Moreira Junior
"cidadão do mundo com raízes no rio de janeiro"