O amor de Deus, relatado na Bíblia, está na forma de educar da Disciplina Positiva

Daniele Fidelis

Muitas pessoas que acreditam na Bíblia, assim como eu, independente de religião, fazem a seguinte pergunta:

O que a bíblia diz sobre a criação dos filhos?

E a resposta sempre é a mesma:

“Não evite disciplinar a criança; se você a castigar com a vara, ela não morrerá. Castigue-a, você mesmo, com a vara, e assim a livrará da sepultura.” – Provérbios 23:13-14

Mas a Bíblia também diz para ensinarmos com amor e também diz para não irritarmos os nossos filhos:

“Fala com sabedoria e ensina com amor.” – Provérbios 31:26

“Pais, não irriteis os vossos filhos, para que não fiquem desanimados.” – Colossenses 3.21

Porém, castigar é mais fácil do que falar e ensinar com amor.

Quantas vezes, você/nós, já irritou o seu filho por falar mentiras e fazer promessas que não se pode cumprir?! (A Bíblia também diz para não mentir).

NÃO bater nos filhos não significa deixá-los fazer o quiserem. É a troca do bater por uma disciplina mais eficaz, duradoura e respeitosa. Deixar de dar limites, autoritarismo e permissividade é deseducar.

Respeito a opinião de cada um, mas é preciso que as pessoas conheçam e entendam que corrigir um filho não é sinônimo de castigar. Disciplina também não é sinônimo de bater.

Porém, associamos essa forma de PUNIR com o educar por questões culturais. Afinal, foi e é passado de geração em geração.

Sabemos que, na Bíblia, várias passagens foram escritas usando palavras no sentido figurado ou em metáforas. E mesmo que nesse caso não seja, porque várias situações bíblicas adequamos para os dias de hoje e quando se trata da criação dos filhos somos tão resistentes?!

Naquela época a “vara” era a única opção. Assim como inúmeras coisas.

Se hoje em dia temos melhores opções, com resultados mais eficazes (comprovados cientificamente), por que não ?! Porque focarmos na “VARA” e não no “AMOR”?!

A única diferença, de qualquer disciplina que não implica o punir é que demanda mais estudo, mais esforço de nós pais, mais autocontrole, paciência e muito mais tempo nosso para com eles . E a verdade é que a maioria não está disposta ou não possui tempo para isso.

Estamos sempre evoluindo e acompanhando o desenvolvimento do mundo. Nós nos adequamos a tudo, mas permanecemos nessa forma “arcaica” da criação dos filhos.

Na minha opinião, disciplinar não é sinônimo de punir, como eu já disse. Disciplina é fazer com que a criança entenda e aprenda a seguir regras, a obedecer e a ser respeitoso.

E existe uma forma mais eficaz: com firmeza e ao mesmo tempo com empatia por nossos filhos.

Novamente eu digo: Não punir, não significa não educar. Significa que temos, hoje em dia, uma opção infinitamente mais duradoura. Uma educação para longo prazo.

Castigar pode sanar o problema de imediato, mas se educasse, não deixaria tantas sequelas. (É comprovado que crianças que sofrem abusos físicos sentem apenas medo, insegurança e humilhação).

Acredito fielmente que é mais fácil criarmos crianças fortes do que consertar adultos quebrados, como diz F. Douglas . E o que mais temos, hoje em dia, são adultos quebrados. E não são dessa geração, não. São da geração das palmadas, autoritarismo ou permissividade.

Jesus não usou a “vara” para disciplinar seus discípulos. Ele usou do puro amor! E, na minha opinião, o amor de Deus, relatado na Bíblia, está na forma de educar da Disciplina Positiva .

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS







COMENTÁRIOS




Daniele Fidelis
Meu nome é Daniele Fidelis, tenho 30 anos. Sou Jornalista de formação, mas faz 5 anos que sou apenas dona de casa. Amo escrever e atualmente escrevo mais sobre a maternidade, pois há 3 anos que vivo completamente imersa nesta aventura. Mas gosto de escrever sobre o cotidiano também. Amo a vida e tudo que a compõe.