O alívio de quem já percebeu que não ter dado certo foi uma grande sorte!

O Universo sabe exatamente do que a gente precisa, mesmo que, às vezes, escreva por linhas tortas e curvas, mesmo que, às vezes, desarrume todas as nossas gavetas e troque todas as nossas certezas de lugar.

Existe uma linha tênue entre desistir antes da hora e insistir quando já não faz mais sentido.

Quando a luta já faz mais mal do que bem, quando já machuca de um jeito que não tem mais por que continuar é hora de perceber que o que não deu certo foi uma grande sorte.

Nessas horas, quando o encanto acaba e a gente já não consegue mais ver um motivo forte o suficiente pra persistir, o melhor mesmo é encerrar esse ciclo. Deixar ir. E quando você faz isso o que resta é um grande alívio.

Porque acredito piamente que todo “não” da vida é, na verdade, um belo e gigantesco “sim”.

A nossa melhor versão não tem a ver com o resultado conquistado, mas com ter sido por inteiro, da melhor maneira que a gente pôde ser.

E com entregar, aceitar, confiar e agradecer pelo que vier, como bem dizia o professor Hermógenes, porque Deus, o Universo, essa força maior – ou como você queira chamar – não trabalha com o acaso. Não existe aleatoriedade nas leias da vida. Tudo o que nos acontece tem uma razão de ser.

Se o que você tanto deseja ainda não se realizou, apesar de tanto esforço da sua parte, acredite: o melhor ainda está por vir.

Não aconteceu porque a vida é má. O seu pedido não foi atendido justamente porque o Universo está cuidando direitinho de você. Foi para o seu bem.

Tem sempre uma coisa boa pra acontecer na vida da gente, mesmo que seja difícil de entender ou de aceitar quando ela vem acompanhada da rejeição, da não aceitação, do não dar certo.

Sabe, deu certo, sim.

Às vezes, quando olho pra trás, revendo algo que eu tanto desejava, eu paro e penso: ainda bem que não consegui aquilo.

É isso.

Se não deu certo, era porque não era pra ser.

Talvez você se revolte agora, mas, acredite: num futuro, talvez mais próximo do que você imagina, você vai entender o por quê. E vai agradecer por ter percebido que não ter dado certo, foi na verdade, uma grande sorte.

Precisa de ajuda para tomar consciência do que te faz bem, dos seus valores, dos seus sonhos, chame no direct @rhamuche.

*DA REDAÇÃO RH. Texto de Robson Hamuche, idealizador do Resiliência Humana, terapeuta transpessoal e Constelador Familiar.

*Foto meramente ilustrativa – Instagram Gabriela Publiesi

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

RECOMENDAMOS









Robson Hamuche é Terapeuta transpessoal com especialização em constelação familiar, compõe a equipe de terapeutas do Instituto Tadashi Kadomoto (ITK). É também idealizador e sócio-proprietário do Resiliência Humana, grupo de mídia dedicado ao desenvolvimento humano, que reúne informação de qualidade acerca de todo o universo do desenvolvimento pessoal, usando uma linguagem leve e acessível.