Nesses tempos de pandemia é um Deus nos acuda em todos os sentidos.

nesses-tempos-de-pandemia-e-um-deus-nos-acuda-em-todos-os-sentidos

Nesses tempos de pandemia é um Deus nos acuda em todos os sentidos.

A rotina apesar de nos incomodar um pouco, tornando-se massante em tempos normais, com a pandemia conseguimos enxergar o quanto ela é importante em nossas vidas e o quanto nos faz bem e nos faz falta.

Apesar de todos os pesares, com ela nos sentimos seguros. Com o isolamento social tivemos que mudar tudo e consequentemente a rotina diária.

Sair da zona de conforto da normalidade é um grande desafio. Contudo, vimos que somos capazes de superar nossos limites. Chegamos a nos abater e pensamos em desistir por acharmos não sermos capazes de enfrentar, tamanho pavor.

Nos sentimos impotentes com a COVID-19.

Mas, existe uma força dentro de nós que nos inspira e quando pensamos que não há mais jeito, ela faz brotar a luz da última tentativa e é esta que faz tudo dar certo.

E seguimos, sem sabermos direito para onde estamos indo, apenas nos entregamos à fé, na esperança de nos encaminhar para um destino certo e seguro, mesmo que seja desconhecido para nós.

Temos medo do desconhecido e isso nos faz ficar paralisados, imóveis no mesmo lugar.

O travar nos angustia e logo vem a sensação de estarmos perdidos em meio a um turbilhão de incertezas. E quando menos esperarmos, num piscar de olhos, como num passe de mágica, veremos tudo voltar ao normal.

Sairemos mais fortes, com uma nova visão do mundo e logo-logo nem sequer lembraremos do Coronavírus, pois estaremos focados em apenas viver de forma plena e feliz.

Dando mais valor a tudo que faz parte do nosso cotidiano por mais simples que seja, teremos aprendido a preciosa lição de termos que parar um pouco para observar melhor tudo ao nosso redor e que antes disso tudo acontecer passava batido.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS






COMENTÁRIOS




Idelma da Costa, Bacharel em Direito, Pós Graduada em Direito Processual, Gerente Judicial (TJMG), escritora dos livros Apagão, o passo para a superação e O mundo não gira, capota. Tem sido classificada em concursos literários a nível nacional e internacional com suas poesias e contos. Participou como autora convidada do FliAraxá 2018 e 2019 e da Flid 2018.