Nenhum filho é feliz assistindo aos pais se tratando mal.

Luciano Cazz

Se um pai é maltratado pela mãe, se ela fala mal dele ou o trai, certamente, o filho vai sofrer.

Muitas vezes, subestimamos a capacidade dos nossos filhos em interpretar e avaliar nossas atitudes, o que pode ser um tremendo engano, o qual irá atrapalhar todo o desenvolvimento dos pequeninos, pois eles sentem tudo, e isso é muito mais do que imaginamos.

A mãe é o primeiro amor incondicional de uma criança. Se você a trata mal, se a trai, se não tem uma relação saudável com ela, seu filho vai sofrer.

Nenhuma criança é capaz de ignorar a dor de uma mãe e diante da impotência de não ser grande o suficiente para ajudar a resolver o sofrimento materno, pode culpar-se e desenvolver uma personalidade conflituosa, fraca ou insegura.

Um pai é sinônimo de autoridade e proteção. É através dele que desenvolvemos nosso comportamento social, pois é referência de força, autoestima e correção.

Se um pai é maltratado pela mãe, se ela fala mal dele ou o trai, certamente, o filho vai sofrer. E isso também pode, definitivamente, criar um adulto desregrado, irresponsável, que não respeita os outros e está sempre se metendo em problemas.

Alienação parental, que é o ato de colocar os filhos contra os pais, hoje é crime, e tem uma razão para isso. Seu marido ou ex pode ser um traste para você. Mas para seu filho ele é e sempre será uma fonte vital de amor.

Afastar um pai de um filho, o que acontece muito após uma desgastante separação, é um dos maiores danos que podemos causar aos nossos rebentos. Se colocar um filho contra o pai já é extremamente danoso, imagina contra a mãe.

Você pode até acreditar que está fazendo um favor para o seu filho, mas não está.

A forma como uma criança vê o pai e a mãe e o laço que eles têm é muito diferente da relação do casal.

E nós NÃO podemos exigir que um filho tome partido. Que pense como a gente. Que sinta a mesma raiva que sentimos. É injusto e até cruel.

Então, se você ama seu filho, você protege ele das decepções que pode ter com a mãe ou o pai, em vez de instigá-lo contra, pois uma criança que tem a convivência com um dos pais prejudicada, NUNCA será feliz. E quem deseja isso para aquele ser que colocou no mundo? Ninguém que seja do bem.

Por isso, nunca destrate o seu cônjuge ou ex. Nem fale mal dele para seus filhos, ainda mais se for para chamar a atenção e amenizar sua carência.

Evite também que eles testemunhem desavenças.

Para uma criança, uma separação amigável pode ser muito mais benéfica do que um casamento doentio, porque uma relação conflituosa pode fazer com que desacredite no amor, nas relações, uma vez que, a gente toma o que vive no nosso lar como a verdade do mundo.

Quando uma criança testemunha violência em casa, ela tende a acreditar que todas as famílias são assim.

Quando sua experiência é de afeto, o carinho se torna a verdade do seu mundo. E essa diferença pode ser crucial para que ela se torne um adulto saudável, se relacione bem com as pessoas e lute com otimismo pelos seus sonhos e seja alegre. Exatamente como um pai ou uma mãe que ama seu filho, deseja que ele seja.

Portanto, antes de menosprezar sua esposa ou seu marido na frente de um filho lembre-se de que se relacionar bem com seu cônjuge ou ex diz muito sobre o filho que você deseja ter, mas muito mais sobre o pai ou a mãe que deseja ser.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS







COMENTÁRIOS




Luciano Cazz
"Luciano Cazz é publicitário, ator, roteirista e autor do livro A TEMPESTADE DEPOIS DO ARCO-ÍRIS." Quer adquirir o livro? Clique no link que está aí em cima! E boa leitura!