Não saia por aí aceitando a primeira pessoa que aparecer só porque você está sozinho!

Marcia Barroso

A sensação da solidão é algo bem ruim quando se olha para ela como “ausência de afeto”; quando esperamos que esse afeto venha de fora de nós, ou seja, dado por alguém, acaba nos levando a aceitar a primeira pessoa que surge como uma espécie de “salvador da pátria”.

Eventualmente, essa aceitação pode até dar certo e culminar em algo positivo, prazeroso, enfim, feliz, mas, via de regra, o que ocorre é o oposto.

Há inúmeros sites de relacionamento e locais, onde as pessoas solitárias vão em busca de encontrar o afeto que esperam, mas o que elas não percebem é que a maior parte está ali para algo casual.

Chamo isso de paixão gasosa que é algo mais fluido que o amor líquido e que se evapora em questão de um ou poucos dias, dificilmente alcançando o status de namoro.

Os dias atuais e sua pressa característica vem trazendo para o universo dos sentimentos, coisas passageiras demais, vazias demais e solitárias demais.

Esses relacionamentos gasosos tendem a deixar a pessoa mais vazia e mais solitária do que quando estava desacompanhada. Não são apoio, não são amigos, não são nada que valha a pena perder tempo. Os momentos que você passa ao lado de alguém casual, bloqueia a visão que alguém possa ter de você com intenção num relacionamento mais profundo. Essas pessoas querem, assim como você, alguém para estar ao lado de verdade e não somente para uma ou duas noites. Ele quer alguém livre para poder se comprometer. Se essa pessoa vir você acompanhado, certamente não prestará atenção em você.

O amor chega disfarçado e se apresenta como “um alguém”. Ao contrário disso, a paixão gasosa se apresenta como “um ninguém”. Você não saberá seu sobrenome, seu endereço e nada mais íntimo que o leve a fazer conexões profundas.

Não perca tempo, pensando que isso é diversão, se não for isso que você deseja. Se for, ok.

Enquanto você pensar estar se divertindo por uma noite, poderá ter perdido um olhar sincero que passou enquanto você apenas jogava seu precioso tempo no lixo com alguém que, no final da noite, vai-se despedir com um “a gente vai-se falando”.

Entenda que você nunca está sozinho. Deus tem visto a sua solidão e a sua necessidade de afeto. Ele sabe que você quer e sente a necessidade de alguém ao seu lado.

Imagine que você esteja num lugar chamado Solidão. Ali, tem outros habitantes que estão no mesmo barco que você. Dê chance ao tempo de Deus. Você ainda vai ter esse alguém tão especial como você.

Acredite!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS







COMENTÁRIOS




Marcia Barroso
Escritora, poeta e compositora, com participação em antologia de poesia publicada e músicas gravadas.