Não podemos voltar ao normal, porque o normal era o problema!

Iara Fonseca

Quando tudo isso passar não poderemos voltar ao normal, porque o normal era o problema, precisaremos voltar a rotina transformados, como bons alunos que aprenderam a lição. Não poderemos voltar a agir como agíamos, nem continuar fazendo o que fazíamos antes de tudo isso acontecer.

“Não podemos voltar ao normal, porque o normal era exatamente o problema. Precisamos voltar melhores. Menos egoístas. Mais solidários. Mais humanos.Robson Hamuche

Precisaremos nos colocar de volta nesse mundo capitalista sem nos deixar ser dominados pelo capital como vinhamos sendo. Sem aquela sensação de que somos os seres mais poderosos do mundo e por isso podemos usar os recursos que ele possui para o nosso prazer e luxúria enquanto estivermos vivos.

Elegemos Bolsonaro, apedrejamos virtualmente uma criança ambientalista chamada Greta Thunberg, insinuamos que a Amazônia deveria ser vendida e que os índios deveriam se virar com o que sobrasse, fomos coniventes com políticos que nos roubaram muito mais do que dinheiro, roubaram nossa dignidade e nos envergonharam frente às nações do mundo todo, e por mais que tudo isso tenha acontecido e venha acontecendo há anos, ainda não despertamos para olhar o real problema que a nossa geração enfrenta.

Ainda insistimos em defender político.

Ainda passamos pelas ruas com nojo ou medo dos que andam a mendigar, não nos solidarizamos, ou poucos se solidarizam.

Ainda invejamos nossos amigos.

Ainda agimos sorrateiramente para prejudicar alguém que não comunga com os nossos ideais.

Ainda somos cúmplices de pessoas que só querem o bem para si mesmos por conta de dinheiro.

Ainda nos vendemos por muito pouco, porque a sociedade do consumos nos fez assim, ainda acreditamos que sempre precisamos mais, e não conseguimos viver com pouco ou com o suficiente.

Eu, em poucos dias, já me sinto melhor do que eu era antes, e a prova disso foi que consegui me libertar de algo que vinha me fazendo muito mal.

Falarei um pouco sobre o meu processo de isolamento, o problema que identifiquei, e o que tenho transformado em mim:

Eu tenho dois filhos e vivia um orçamento total que sempre me deixava preocupada até pouco tempo atrás, e era com essa quantia que eu tinha que sustentá-los sozinha. Agradecia e agradeço porque muitas famílias vivem com muito menos, mas constantemente orava a Deus pedindo abundância, e me cobrava demais, até que… Apareceu um cliente que me ofereceu uns reais para que eu trabalhasse para ele como Ghost Writer (escritora fantasma). Não era muito, e inconscientemente eu sabia que o meu trabalho valia mais, mas na minha cabeça já era uma benção, poderia fazer compras melhores para alimentar meus filhos, já que tenho um adolescente e uma pequena que são muito famintos, em casa.

Como já disse, no início pensei que era uma benção, afinal, as coisas estavam escassas aqui e eu desejava e ainda desejo prosperar, não só eu, meus filhos também esperam ver o meu sucesso e me cobram demais. Essa cobrança, juro, chegou a me tirar o sono muitas vezes, e por isso, aceitei o trabalho.

Logo no início já percebi a alma obscura da pessoa que me contratou.

Sou muito sensível as energias alheias, e percebo as intenções positivas e negativas, mesmo a distância. Mas, pensei que Deus queria me usar de instrumento para transformar essas sombras que eu via nela, em luz. E me coloquei a serviço.

Uma pessoa que não sabe escrever e precisa de um escritor fantasma, ok, ninguém é obrigado a saber escrever, desde que tenha conhecimento para passar e que o conhecimento seja transformador, ficarei feliz em poder contribuir, pensei.

Porém, as semanas se passaram e as ideias e textos que essa pessoa me enviava eram nitidamente preconceituosos, flertavam com o machismo narcisista e muitas frases, ditas por ela mesma, como frases “filosóficas”, eram de arrepiar de tão sem sentido.

O fato é que me vi em uma situação bem ruim. Entre a cruz e a espada, literalmente!

Via meus filhos precisando que eu os sustentasse com o mínimo de conforto, e ao mesmo tempo, minha consciência apitava que eu estava contribuindo com as energias do mal trabalhando para uma figura como essa. Mas como todos os brasileiros, eu precisava do dinheiro!

Quantas vezes fazemos coisas que não queremos fazer, ou que sabemos que não são certas, que não devem ser feitas, e mesmo assim fazemos por causa do dinheiro?

Sei que não só eu passei por isso, muitas pessoas passam o tempo todo.

O problema é que muitas ainda não conseguem enxergar que estão contribuindo para o mal, como eu enxerguei nesse caso, elas acreditam piamente que o dinheiro é mais importante que tudo. E passam por cima de quem quer que seja para obter mais e mais.

E esse é e era um dos reais e mais complexos problemas que vinhamos enfrentando no mundo todo: a corrida desenfreada por mais dinheiro.

Essa corrida desenfreada para ter mais, para possuir poder sobre os outros e ser respeitado por muitos, não pela pessoa que se é, mas pelos bens que possui, estava e acabou levando muitos ao colapso nervoso e mental.

Quando me vi aflita com a situação, percebi que eu estava despertando a minha consciência, e que não mais estava mais mergulhada na loucura capitalista, apesar de precisar de verdade do dinheiro.

Primeiro sentei com os meus filhos, e expliquei a situação para eles. Disse que ia finalizar um contrato com um cliente pelos motivos já expostos acima, e eles ficaram preocupados, porque voltaríamos a enfrentar dificuldades e escassez do básico: COMIDA.

Para tranquilizá-los eu disse:

“Meus filhos, nunca faltará o pão de cada dia em nosso lar! Não digo isso só por conta da fé que me fortalece todos os dias e da certeza que tenho nos planos de Deus em nossa vida, digo porque a mamãe está fazendo o certo, está se desvinculando de algo que era nitidamente uma imposição do mal em minha vida, e que estava tentando me “tentar” para o seu lado me oferecendo dinheiro, e nem me oferecia uma quantia muito alta.

O teste do mal ERA para ver se eu me vendia por pouco, mas não vou mais comer o pão que o diabo amassou.

Serei melhor!

E vocês se orgulharão de mim!

Mesmo que soframos restrições por um período, eu estarei trabalhando incansavelmente e não deixarei faltar o necessário, apenas riscarei os supérfluos por um tempo.

Se animem!

Sei que seremos invadidos por uma luz curativa, por uma força de um bem inabalável que nos fará prosperar de hoje em diante!

Confiem na mamãe!“, fechei os olhos e orei com todo o meu coração pedindo a Deus que nos enviasse o pão de cada dia e que nos amparasse!

Contei essa história para vocês e sei que vocês devem estar esperando um final milagroso como:

“Depois da oração um outro cliente apareceu e quis te pagar o dobro.” Mas não aconteceu assim.

Primeiro eu precisava me limpar do mal pelo qual eu havia sido “cúmplice”, com a desculpa de que eu “precisava do dinheiro”. E essas coisas não se limpam assim, instantaneamente, demora um tempo, como tudo na vida.

Mas eu digo para vocês uma coisa:

Estou me sentindo tão melhor, tão mais leve, sinto que tirei um carma das costas, um problema que iria criar para mim dentro do meu livro da vida, e sei que não sou a mesma de antes, e se o meu normal era aquele, não voltarei ao normal nunca mais, não me venderei por tão pouco, muito menos para contribuir e projetar a maldade alheia.

Nunquinha!

Sei que sairei desse isolamento bem melhor do que eu era antes. Mais sensata, plena de minhas conexões com o bem e desistente das parcerias que vinha travando com o mal, e agora me sinto mais forte para escolher como devo proceder diante dessa dualidade da vida.

Peço para que vocês também se autoavaliem e se perguntem:


Estou colaborando com quais forças? Do bem ou do mal?

Qual o meu propósito de vida?

O que estou fazendo da minha vida trabalhando para essa ou outra pessoa?

O que eu posso fazer para melhorar como ser humano, para me sentir realizado, para contribuir com a melhoria do mundo?

Quando, aos poucos, a rotina nos bater a porta novamente, quando tudo tentar voltar a ser caótico, devemos nos perguntar:

Devemos deixar que tudo volte ao normal?

Qual a nossa responsabilidade diante dessa normalidade que beira a imbecilidade?

Qual o maior problema em nós e no mundo?

Devemos parar imediatamente de fortalecer o poder dos homens maus, daqueles que querem o bem apenas para si mesmos, e que escravizam, subjugam e desmerecem os que tiveram poucas oportunidades na vida.

Devemos parar de doar nossa força de trabalho para aqueles que tiveram privilégios a vida toda e são apáticos ao sofrimento alheio.

Devemos simplesmente deixá-los sozinhos, pois assim, verão que nada são sem a nossa ajuda.

Mas vão dizer:

“Ah, tá tão difícil emprego, e você tá incentivando as pessoas a largarem os seus só porque o chefe ou o dono é uma magnata perverso?”

Sim!

Se eu consegui com a criatividade e a minha forte conexão com Deus abrir outras portas de luz, adentrar em espaços onde a vida pulsa amorosamente, você também conseguirá!

Não se trata de sorte, se trata de persistência no bem! Em não desistir, em não esmorecer, em não temer mesmo que as coisas “pareçam caóticas”, confiar que o melhor vai acontecer! E não é positivismo exagerado, é apenas uma vibração obrigatória para se conseguir o que deseja!

Bastará abrir os olhos e o coração para o bem e se desvincular do mal, mesmo que isso venha a te trazer consequências financeiras.

Cortar qualquer vínculo com essas pessoas que contribuem para o mal, com suas vibrações e pensamentos negativos, com seus desmandos e controles excessivos, com suas vaidades arrogantes, com seus olhares de superioridade, fará com que você deslanche rumo às suas missões reais de vida.

Livrem-se disso tudo!

Esse vinculo com algo que faz mal a nós e aos outros, é o grande problema!

Levantem a cabeça!

Aproveitem esse momento e façam cursos online, se capacitem!

“Ah, mas eu não sei o que fazer”. Dirão os mais confusos e medrosos!

Converse então com alguém de sua confiança, se abra, desabafe sem reclamar, se escute, apenas tente se encontrar enquanto você fala, se estiver sozinho, pergunte para si mesmo na frente do espelho o que você sabe fazer de melhor, o que você mais gosta de fazer na vida. Um hobby que você sempre pensou ser apenas um hobby poderá virar a sua maior fonte de renda!

Abra-se para receber as mensagens do Universo que será captada pelo seu coração.

Se o seu coração sangra continuamente com os resquícios das feridas do passado, cure-o, pois se ele estiver sangrando, todos os caminhos que forem indicados por ele, levarão ao derramamento de mais sangue.

Cure o seu coração!

É ele que indica os melhores caminhos, não a cabeça! A cabeça só indica onde está o problema!

Muitos dos pensamentos que nos chegam a mente, nem nossos são, são projeções do ego ou de alguém que falou na TV, ou nos encontros sociais que tivemos, somos influenciáveis, a maioria de nós.

Só o nosso coração nos diz a verdade, mas muitos não querem ouvir. E só é possível curar um coração com o perdão, com orações, meditações, aceitação, e principalmente nutrindo a esperança dentro de nós.

Tudo passará e dias melhores virão se nós formos melhores hoje do que fomos ontem!

Temos que nos devolver para o mundo depois disso tudo, bem melhores do que já fomos, pois o mundo também estará melhor, menos poluído, com animais procriando sem a ameaça humana, com famílias se reestruturando, ou se afastando temporariamente para cura. Mas o fato, é que tudo está sendo curado, você, o planeta, eu, tudo!

Aproveite e se abra para receber a cura!

Não resista!

Não tente atropelar as coisas, pois não há necessidade de alarde, pelo contrário, precisamos nos manter calmos para identificar o problema com o coração aberto, para recebermos as bençãos divinas em forma de soluções.

E meu amigo, não importa se você não acredita em Deus.

Deus não se importará também se você acreditará ou não no processo. Quem se sentirá perdido, como se o mundo estivesse caindo em sua cabeça, será você, se optar por seguir sozinho e ainda continuar a alimentar um egoísmo nocivo com a preocupação excessiva em torno do dinheiro.

Saiba que todos irão passar por privações, uns mais, outros menos, mas todos passarão pelo que precisam passar para o burilamento da alma e do espírito.

Ninguém está imune.

A imunização se dará quando nós seres humanos passarmos a nos transformar internamente, arrancando o véu que nos impedia de enxergar as nossas sombras, as iluminado com a luz divina, e com a nossa própria luz que precisa ser revelada em nós.

Estamos em processo de regeneração, uns mais avançados outro ainda nem começaram, mas estão sendo forçados a olhar para dentro.

Todos somos luz e sombras, mas algumas pessoas são prepotentes demais para admitir que possuem sombras. Elas comumente apontam os defeitos dos outros, mas os seus, negam veementemente.

São pessoas que se acham “quase perfeitas” que estão completamente dominadas pela vaidade e pela ganancia.

Não deixemos mais essas pessoas assumirem o poder, seja em qualquer área de nossas vidas!

Essas pessoas são as chagas de Cristo, são os vírus da sociedade atual.

Não contribuamos com elas.

O problema está aí, continuamos nos deixando escravizar por modelos modernos de “Senhores Feudais”, e somos coniventes!

Enxerguemos o quanto antes onde mora o problema e viremos o jogo!

Não mais os ajudemos a acumular riquezas, porque quanto mais eles acumulam, mais poderosos ficam, e mais portas se abrem para que eles cometam atrocidades egoístas, tanto com a natureza em benefício próprio, quanto com as pessoas que os servem, os fazendo correr riscos de contaminação, os colocando em condições de trabalho escravizantes e degradantes, e ainda se vangloriando de que estão ajudando essas famílias que não teriam outra oportunidade se não fossem a que eles estão dando. Argggg, me dá ânsia de vômito!

Paremos de nos vender por pouco!

Aprendamos a nos valorizar, mesmo que a vida não nos tenha dado ainda oportunidades melhores, não nos acomodemos, busquemos outras, e outras, e outras!

Perseveremos no bem!

Quando menos esperarmos seremos agraciados por um bem ainda maior do que a nossa imaginação limitada poderia imaginar!

Tenhamos fé na vida, fé no que está por vir!

Precisamos nos colocar em ação! Viver o agora, e um dia após o outro!

Se atente para as mudanças que precisam ser realizadas em você!

Olhe para dentro!

Mas tenha paciência! Não se cobre uma mudança do dia para noite, porque dificilmente mudanças bruscas demais se transformam em hábitos edificantes.

Apenas relaxe, e se conecte com o bem que existe em você! As respostas virão!

Te peço mais uma coisa:

Não volte ao normal junto com o mundo, porque esse era o real problema dele! O mundo, nem nós, poderemos ser os mesmos depois de tudo isso!

O mundo e todos nós, precisaremos sair dessa melhores!

Menos egoístas.

Mais solidários.

Mais humanos.

Texto de Iara Fonseca – Leia Mais da autora em Resiliência Humana

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS






COMENTÁRIOS




Iara Fonseca
Jornalista, escritora, editora chefe e criadora de conteúdo dos portais RESILIÊNCIA HUMANA e SEU AMIGO GURU. Neurocoaching e Mestr em Tarot. Para contratação de criação de conteúdo, agendamento de consultas e atendimentos online entrem em contato por direct no Instagram.