Não existe o melhor tipo de parto, mas sim o parto melhor indicado para cada caso!

Fabiana Dainese Mauch
Newborn baby girl

Sim! Eu sonhei com o parto normal, eu idealizei o momento perfeito. Visitei os hospitais, escolhi a sala de parto humanizado mais bacana, luzinhas sem fim no teto, simplesmente incrível, uma banheira também estava à disposição para as que sonharam com parto normal na água…tudo perfeito! Só me restava aguardar pelo momento único, o momento em que ele escolheria o dia e horário que viria ao mundo! Afinal, escolher dia e horário para cesariana, estava completamente fora de cogitação, eu na minha inocência e inexperiência, achava-me no direito de julgar quem o fazia, quem por assim dizer, contrariava a natureza.


Pois bem, chegou o último dia, da última semana e nada aconteceu, ele não queria dar o ar da graça, um mísero sinal não me foi dado, ansiedade, dúvida, medo, preocupação, como ele sairia do meu ventre, como seria este momento tão sonhado? Choro, apreensão…

Hoje eu poderia compreender que se nenhum sinal me foi dado, era porque não tinha que ser natural, afinal a natureza é sábia!

Pois bem, lá vamos nós para a indução, pois eu queria o parto normal, e tudo tinha que ser exatamente como eu sonhara! Romper a bolsa, iniciar a indução e aguardar, contrações, dor, estava perto! Ahhh…o tão sonhado e perfeito parto normal, a criança nascendo no exato momento, nem antes, nem depois, sem traumas, sem ser arrancada, forçada a nascer fora de hora.


Mas infelizmente, não somos nós a decidir, não é assim que funciona! Tudo depende das condições, do que for melhor para a mãe e o bebê, do que tiver que ser decidido na hora, mediante aos fatos. A nós cabe apenas aceitar e entender que o melhor foi feito, o melhor para aquele momento.

E foi assim que aquele tão idealizado momento se reverteu em uma linda cesariana, após uma tentativa frustrada de parto normal, uma inesperada cesariana me trouxe o tão sonhado presente de Deus! Obviamente que quando fui notificada sobre tal decisão, a decepção se fez presente, mas logo passou quando fui advertida que era o melhor a ser feito. Pois, não existe o melhor tipo de parto, mas sim o parto melhor indicado para cada caso!

A ninguém cabe julgar e tão pouco escolher, pois somente na hora saberemos o que poderá ser feito. Oremos a Deus que ilumine os médicos, para que optem pela melhor opção para mãe e bebê.

Hoje tenho a maturidade para entender que certos momentos não devem ser idealizados, devem ser vividos como um presente!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Fabiana Dainese Mauch
Apesar de apaixonada por filosofia, psicologia e relações humanas, estudou e trabalha na área de exatas, encontrando na escrita uma forma de se aproximar de suas paixões. Ama pensar sobre a vida e o que podemos fazer para melhorar o mundo e a nós mesmos.

COMENTÁRIOS