“Não durmo há dois anos”, diz Fernanda Lima sobre a dor da maternidade!

Muitos acreditam que ser mãe é uma obrigação das mulheres, que elas nasceram para essa função e, que, necessariamente, se elas decidirem que não querem essa responsabilidade, elas não estarão cumprindo o papel de mulheres de verdade.

Com a evolução dos costumes e das culuras, hoje, as mulheres podem escolher se irão viver a maternidade ou se vão preferir pular essa experiência.

Muitas mulheres sentem que, devem ter filhos, que precisam deles para formar uma família, que sem eles não serão completas. Acontece que muitas quebram a cara logo nos primeiros meses e, percebem de uma forma muito dura que ser mãe é uma dureza.

Porém, por muito tempo a maternidade foi romantizada e, é óbivio que sentimos um amor desproporcinal pelos pequenos, mas a dor também é um presente, todos os dias.

Dói os seios, dói o parto, dói o puerpério e o pós puerpério, dói o fato de não ter tempo para si, dói não dormir, dói não poder desfrutar da companhia do marido e das amigas como antes, dói não poder trabalhar, ou até mesmo sentir que não é tão competente quanto antes, dói ter que faltar ao trabalho porque um filho está com febre e ver homens “livres” ocuparem melhores posições… Muita coisa dói, mas poucas pessoas falam sobre isso.

Mas a apresentadora e atriz Fernanda Lima que já tem os gêmeos João e Francisco, de 13 anos, e Maria Manoela, de 2 anos, resolveu falar e desabafou todo o seu cançaso em um post no Instagram.

Entre outras coisas ela disse: “não durmo há dois anos (levanta a mão a mãe que também vive o perrengue da cama compartilhada e do sono que não engrena!!)”.

A dificuldade com o sono é uma constante, mesmo existindo mães que dizem não ter tido dificuldades com o sono dos filhos, a grande maioria já passou por isso, não dormir atrapalha praticamente tudo, as mulheres ficam mais lentas, menos produtivas e profundamente irritadas.

Sobre isso, Fernanda completou: “Falo do lugar de mãe que não precisa pegar ônibus, nem bater cartão, nem lavar roupa, nem cozinhar”.

Essa é ainda uma dor incompreenssível para muitos homens que ainda pensam que fazem muito em ajudar.

Mas para completar a riqueza do post, Rodrigo Hilbert que estava ciajando a trabalho comentou:”Eu de longe gravando sem poder dividir. É isso mesmo homens, DIVIDIR não é ajudar! Te amo demais mulherão da p#%#!!!”.

Não é preciso falar que choveu de comentários elogiando a atitude de Rodrigo que firsou que homens não ajudam as mulheres quando são pais, eles dividem.

Por mais homens assim e por mais entendimento e compreenssão sobre o quão difícil, extressante e cansativo é ser mãe.

Leia o post completo:

*DA REDAÇÃO RH.

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

RECOMENDAMOS









Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia