Não culpe os seus pais. Eles só fizeram o que podiam com o conhecimento que tinham.

Nada nessa vida tem mais poder de nos destruir do que a escolha de culpar os nossos pais por tudo.

Não é uma questão de retirar a responsabilidade por tudo o que fizeram, é sobre aceitar que, seus pais, possuem fortes limitações, como você também possui.

Um mestre me ensinou que os pais são os culpados que não tem culpa. Isso porque, eles são seres humanos, que erram e acertam, como qualquer outro. Eles são culpados por terem errado com você, mas não tem culpa por não terem tido condições, seja mental, emocional ou até espiritual, de serem bons pais, diante da sua concepção.

Quando vivemos experiências difícies e dolorosas, na infancia, isso se manifesta na forma como encaramos as pendências na vida adulta. Acabamos fracassando em muitos dos nossos sonhos porque tendemos a focar nos defeitos e nos erros dos nossos pais, e essa escolha nos faz cair na armadilha da ingratidão.

Sim, existem pais narcisistas, tóxicos, manipuladores, controladores, abusadores – pais que mais parecem inimigos dos próprios filhos, mas toda dor que provocam ou provocaram, são fruto do que experimentara e aprendeream, da história que carregam de sua ancestralidade.

Não podemos cobrar consciência de seres inconscientes. Isso não significa que devemos aceitar que nos destratem ou nos machuquem, apenas signfica que, guardar mágoas e ressentimentos, somente perpetuará o nosso sofrimento.

Para muitas pessoas, é extremamente difícil perdoar os pais porque os seus corações permanecem feridos, mas a questão primordial não é o perdão, mas sim, a mudança de olhar.

Enquanto olharmos para eles como pequenos e nós os grandes, nunca conseguiremos nos sentir bons o suficiente. A dor nos acompanhará em todas as áreas da nossa vida, isso porque, a vida, nos pede para sermos gratos à ela, e quem nos concedeu a dádiva de viver, foram eles.

Por mais que tenham nos causado mal, a vida, foi o maior presente que eles conseguiram nos dar. De alguma forma, mesmo que “torta”, eles disseram sim para nós, eles nos aceitaram e, foi por conta desse ato de aceitação, que estamos aqui hoje.

Se eu te pedir agora para listar todos os defeitos dos seus pais em um papel e, em outro papel, eu te pedir para escrever a palavra VIDA, e eu te pedisse para rasgar um dos dois, qual dos dois você rasgaria?

A sua vida é o seu bem mais precioso, independente do que tenha acontecido, você a tem e, somente por tê-la, já te foi concedido gozar de inúmeras oportunidades felizes. Isso se você obter por fazer a sua vida valer a pena e conseguir perceber a benção que é estar vivo.

Se você não consegue perdoar, ao menos, procure ser grato pela vida que os seus pais te deram.

Cultivar esse sentimento de gratidão e nas qualidades dos seus pais tem o poder de destravar a sua vida, de iluminar os seus passos e te guiar por caminhos infinitamente melhores.

A vida fica mais leve quando a gente consegue aceitar os nossos pais como são, a gente prospera e evolui, quando a gente passa a olhar para a nossa vida com gratidão… apesar dos pesares.

Se você não sabe como fazer esse movimento de honra e gratidão pela vida que eles te deram, se para você é extremamente difícil enxergar qualidades nos seus pais ou em um deles, me chame no direct @rhamuche, e agende uma consulta individual.

*DA REDAÇÃO RH. Texto de Robson Hamuche, idealizador do Resiliência Humana, terapeuta transpessoal e Constelador Familiar.

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

RECOMENDAMOS









Robson Hamuche é Terapeuta transpessoal com especialização em constelação familiar, compõe a equipe de terapeutas do Instituto Tadashi Kadomoto (ITK). É também idealizador e sócio-proprietário do Resiliência Humana, grupo de mídia dedicado ao desenvolvimento humano, que reúne informação de qualidade acerca de todo o universo do desenvolvimento pessoal, usando uma linguagem leve e acessível.