Quando a preocupação toma conta das nossas relações, as dores começam a se manifestar em nosso corpo físico.

Dores são mensagens de Deus nos pedindo para aproveitar cada instante da vida com amor, com mais confiança e esperança.

As dores são sinais de que não nos sentimos seguros em nossa própria pele e, que para vermos algum sentido na vida, precisamos apontar os erros e projetar as nossas angustias nos outros.

É um claro sinal de que estão vivendo a nossa vida com o olhar voltado para fora e não para as questões que precisamos trabalhar em nós.

O problema é que a gente confunde amor com preocupação! Parece que não dá para amar, sem se preocupar com quem a gente ama! Mas a preocupação, nada mais é que falta de confiança no outro, em si mesmo e n vida.

Com amor, pensamentos e vibrações elevadas, dando tempo ao tempo, sem acelerar os ponteiros dos ciclos naturais da vida, as dores até são sentidas, mas não se tornam o nosso foco central, não se tornam incapacitantes a ponto de inviabilizar a nossa vida!

É fato que, todas às vezes que tentamos apressar o que leva tempo, as dores se manifestam!

Quando olhamos mais para o que queremos e não para o que precisamos, o nosso corpo começa a se enrigecer, bem como, as nossas atitudes demonstram a mesma rigidez.

Desse modo, passamos a sentir dores de cabeça, dores musculares, manifestamos alergias na pele e limitações fisicas diversas.

Você pode me dizer: “Como não me preocupar se estou vendo tudo desabar”, “estou sentindo que a pessoa que eu amo vai acabar se dando mal se ela não me ouvir”, “tudo dá errado pra mim”, “não estou conseguindo dar conta de realizar o trabalho que eu tanto amo, não da maesma maneira que eu fazia antes”. “Sou mãe solteira e não tenho tempo para nada, me preocupo com o sustento e o futuro do meu filho”. “Quem eu amo só me traz preocupações”.

Você pode estar passando por momentos difíceis e eu te entendo, também já enfrentei muitos na vida e ainda enfrento, mas uma coisa é certa e por isso, escrevo essas linhas:

Nada ficará melhor só porque você está “preocupado”. Pelo contrário, quanto mais você se preocupa, menos você consegue encontrar soluções simples para o problema que você vive.

A pessoa em questão não vai mudar só porque você se preocupa com ela. Pelo contrário, ela vai viver o que precisa para evoluir e se desenvolver, independente do que você acha ou acredita.

O futuro do seu filho não será mais seguro só porque você se preocupa com o sustento dele, você pode acabar com a sua saúde trabalhando de sol a sol e, ele, futuramente, nem dar valor a isso.

Ter responsabilidade em dar o que o seu filho precisa, é uma coisa, se anular e inviabilizar a sua felicidade por causa disso já é outra… bem diferente.

É essa confusão toda que faz as dores surgirem avassaladoras!

Existem coisas que estão ao nosso alcance resolver, outras, que precisamos deixar nas mãos de Deus e confiar.

Porém, poucos conseguem confiar dessa maneira nos planos de Deus e nas lições que se fazem necessárias serem aprendidas por cada um de nós. O que mais vemos são “pessoas” querendo intervir, mudar, interpretar… “pessoas” que não aceitam a realidade como ela se apresenta.

A desconexão com os propósitos da alma leva a falta de aceitação e, principalmente, a negação de Deus em nós lesa o corpo físico. Tudo começa, com uma leve dor, um sinal para que transformemos certos pensamentos, sentimentos e atitudes, mas se perpetua, caso nosso pensar, sentir e agir continuarem negativos, para dores crônicas.

Tudo passa, todos sabemos, coisas boas e más, mas para que as coias ruins realmente passem, nós precisamos aceitar as pessoas como são, as coisas como acontecem e a vida como ela é!

No entando, o que fazemos é alimentar esses sentimentos de preocupação diariamente e, me desculpem a sinceridade, quando somos viciados em nos preocupar, mesmo que nada esteja acontecendo de fato para nos deixar preocupados, nós daremos um jeito de criar uma preocupação.

Como?

Por exemplo, você liga a TV para ver as notícias tristes do mundo, depois, você se sente triste também e age no presente como quem perdeu as esperanças.

Você liga para uma amiga que é viciada em reclamar só para ouvir as suas lamentações e pensar, “nossa, como ela está pior do que eu”. Em um primeiro momento, você até se sente melhor, mas depois de uns minutos, o peso do mundo parece cair sobre as suas costas.

Esse “parece”… É a resposta a esse comportamento de focar no problema e não na solução!

Se o seu real objetivo não for o de levar esperança a essa “amiga”, como no último exemplo a cima, e for apenas de querer saber o que se passa com ela, por pura curiosidade, após essa conversa, você terá, inconcientemente, pegado para si, a preocupação e a negatividade dela e, em um certo momento do dia, ou pelo resto do dia, você se sentirá angustiado e, nem saberá, ao certo, o motivo.

Preocupação é ruminação de pensamentos negativos. Quanto mais você rumina, mais indigesta a situação lhe parece.

Muitas vezes, a situação não é assim tão crítica, mas o vício em se preocupar é tão grande, que a pessoa nem consegue dormir direito.

Amigos… Tudo muda o tempo todo, nada está estático, hoje não somos mais o que éramos ontem, a gente pensa, sente, age e o nosso corpo reage! É simples, nós é que negamos os fatos.

Um pensamento repetido muitas vezes, de forma inconsciente, com convicção, por exemplo “ah, amor só causa dor, é sempre assim”, “todas as mulheres passam por isso”, “não há o que eu possa fazer, quem nasce pobre, vai morrer pobre e pronto”, “homem sempre trai”, “não tem como não se preocupar, sou mãe solteira e ninguém me ajuda”, “nada me abala, só eu sei de mim e só eu posso me ajudar”…. pode piorar tudo ou melhorar!

A única convicção que precisa alimentar é a confiança, a confiança de que o melhor acontecerá para todos. O que ajuda é saber que vai passar e repetir isso pra si mesmo é muito confortante!

Tuda no seu tempo!

E para que a gente consiga confiar… Devemos nos perguntar: O que o momento nos pede?

Como eu posso ser melhor diante desse ciclo, que eu sei que vai passar e que tmabém sei que não precisa ser vivido com dor, porém é extremamente desafiador?

Se estamos no presente, conscientes de que existe uma lição a ser aprendida emc ada acontecimento da vida… As respostas sempre acabam chegando!

E essas respostas sempre nos levam a algo novo, a uma inovação emocional…

Essa inovação emocional é uma nova maneira de sentir as relações. É a compreenssão de que nenhuma preocupação paga boleto, nenhuma preocupação ajuda na realização de um filho, nenhuma preocupação salva um amigo, nenhuma preocupação te coloca mais perto dos seus sonhos…

O que faz tudo isso é o amor verdadeiro, esse sim te leva a caminhos mais bonitos, te faz mais confiante, te motiva a realizar grandes coisas, te faz pensar o bem e querer o bem sem olhar a quem , isso tudo… entre uma longa respiração e outra.

*DA REDAÇÃO RH. Texto de Iara Fonseca, jornalista, escritora, editora de conteúdo dos portais Resiliência Humana, Seu Amigo Guru, Homem na Prática e Taróloga. Para agendar uma consulta de Tarô Espiritual com a Iara, mande um direct para @ESCRITORAIARAFONSECA

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

RECOMENDAMOS









Jornalista, escritora, editora chefe e criadora de conteúdo dos portais RESILIÊNCIA HUMANA e SEU AMIGO GURU. Neurocoaching e Mestr em Tarot. Para contratação de criação de conteúdo, agendamento de consultas e atendimentos online entrem em contato por direct no Instagram.