Morro sem amigos, mas não sustento falsidade

Prof. Marcel Camargo

Não sustente falsidade, nem corra atrás de quem não te espera. Não procure demais por quem sabe exatamente onde você está e jamais perca o amor próprio por conta de humilhações desnecessárias com quem nem se lembra da sua existência.

A importância das amizades é incontestável, porém, amigos de fato são poucos, ainda mais nessa época que vivemos, em que as aparências e o status são perseguidos a todo custo. Muitos, por isso, tornam-se capazes de trocar um amigo de anos por alguém que acabou de conhecer, caso este lhe traga confortos materiais e popularidade.

Quando somos adolescentes, o diferente e proibido brilha aos nossos olhos, levando-nos a valorizar quem possua muito do que queríamos, mas tememos. Portanto, em vista da necessidade de serem aceitos, é até explicável o fato de jovens trocando de amigos equivocadamente. No entanto, adultos formados e com princípios sólidos não possuem esse benefício da dúvida, justamente porque amadurecer implica o entendimento de que o que vem de dentro é muito mais importante do que o externo, a superfície.

Mesmo assim, ainda assistimos a pessoas adultas buscando avidamente por aquilo que o dinheiro compra, mas não finca raízes em coração algum. Nessa toada, perdem-se de si mesmos, perdem-se de suas origens, perdem as pessoas verdadeiras, que torcem por elas, sem ressalvas, enquanto saem à procura de quem possa lhe emprestar status, popularidade, conforto material. Vivem como se amor pudesse ser moeda de troca, como se o brilho social pudesse amenizar as dores da alma. Mera ilusão.

Quando a dor chega, quando a tempestade se forma, quando a escuridão de dentro se torna densa e insuportável, nada poderá trazer mais alento do que uma mão segura e verdadeiramente amorosa nos retirando da tormenta íntima que nos assola. Ninguém compra solução de problemas emocionais, vá lá se escamoteiam seus sintomas através de remédios. Porém, nenhum conforto se iguala a um ombro amigo, que nos recebe com amor que transborda.

Não sustente falsidade, nem corra atrás de quem não te espera. Não procure demais por quem sabe exatamente onde você está e jamais perca o amor próprio por conta de humilhações desnecessárias com quem nem se lembra da sua existência. Fique só, comece de novo, conheça novas pessoas, mas não mantenha contatinhos superficiais que te enxergam como estepe, como segunda ou terceira opções. Tenha um amigo que seja, mas não se perca entre relacionamentos vazios e sem amor. Você merece um amigo de verdade.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS





COMENTÁRIOS




Prof. Marcel Camargo
Graduado em Letras e Mestre em "História, Filosofia e Educação" pela Unicamp/SP, atua como Supervisor de Ensino e como Professor Universitário e de Educação Básica. É apaixonado por leituras, filmes, músicas, chocolate e pela família.