Mais difícil que curar uma ferida é conviver com quem te feriu!

mais-dificil-que-curar-uma-ferida-e-conviver-com-quem-te-feriu

Mais difícil que curar uma ferida é conviver com quem te feriu!

A paciência e a tolerância têm limites e ninguém é obrigado a nos entender todas às vezes que erramos.

Se quisermos atrair coisas boas para nossas vidas, precisamos aprender a respeitar aqueles que nos permitiram ter uma nova chance.

O perdão é um sentimento libertador e uma das melhores coisas que alguém pode fazer por nós.

Por isso, desvalorizar o perdão de alguém é desvalorizar o próprio recomeço, a própria evolução.

As pessoas que abusam de suas segundas chances são, muitas vezes, a razão de alguns perderem a esperança na empatia, na gentileza, e é também por causa dessas pessoas que muitos se tornam mais frios e egoístas.

Não devemos contribuir para que essa realidade aumente. Precisamos compreender os esforços que as pessoas fazem por nós e valorizá-los da maneira certa, retribuindo o perdão que nos ofereceram melhorando as nossas atitudes e não repetindo os mesmos erros que nos levou a necessitar desse perdão.

Viver em um mundo de amor, respeito e solidariedade é muito melhor do que estar sempre sozinho e perdido.

A bondade precisa ser semeada e cultivada por todos nós. É nosso trabalho cuidar de todas as demonstrações de cuidado e respeito que recebemos das pessoas do nosso redor, e o perdão é uma delas.

Conviver com quem nos feriu é muito difícil. Se uma pessoa te perdoou, valorize-a, e não volte a cometer os mesmos erros.

Uma segunda chance é sempre uma oportunidade de recriar nossas vidas, de valorizar as coisas certas e nos aproximar das pessoas que valem a pena. Ao valorizar o perdão que nos foi concedido pelo outro, damos um significado maior para todas as nossas atitudes.

Muitas vezes, isso é tudo o que precisamos para viver melhor, aprender com os nossos erros, levantar a cabeça e seguir em frente com fé e confiança.

Aprenda a olhar para as pessoas que lhe oferecem a chance de ser uma pessoa melhor, com mais cuidado, gratidão e atenção, e entenda que essa é uma oportunidade de ouro que você deve valorizar com todo o seu coração.

É muito melhor ter o coração aberto e aprender novas lições com uma pessoa especial, do que seguir nos mesmos erros e continuar sempre na dependência de que outro alguém venha a te perdoar pelos mesmos deslizes.

Não abuse de quem lhe deu outra chance, mostre que valoriza essa oportunidade com novas atitudes.

Neste mundo egoísta, que sejamos exemplos de que a gratidão ainda está viva!

Caso precise de ajuda para perdoar ou conviver com a pessoa que te magoou mande um direct para @rhamuche, eu posso te ajudar!

*DA REDAÇÃO RH. Texto de Robson Hamuche, idealizador do Resiliência Humana, terapeuta transpessoal e Constelador Familiar. Foto de Blake Carpenter no Unsplash

*SE VOCÊ TEM ALGUMA HISTÓRIA PARA CONTAR, ENVIE UM EMAIL COM A SUA HISTÓRIA E FOTOS DOS PERSONAGENS (SE POSSÍVEL) PARA – CONTEUDORESILIENCIA@GMAIL.COM – NÓS QUEREMOS PUBLICÁ-LA!
A SUA HISTÓRIA PODE INSPIRAR MUITAS PESSOAS!

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS






COMENTÁRIOS




Robson Hamuche é Terapeuta transpessoal com especialização em constelação familiar, compõe a equipe de terapeutas do Instituto Tadashi Kadomoto (ITK). É também idealizador e sócio-proprietário do Resiliência Humana, grupo de mídia dedicado ao desenvolvimento humano, que reúne informação de qualidade acerca de todo o universo do desenvolvimento pessoal, usando uma linguagem leve e acessível.