Luisa Mell conta como foi triste o resgate dos animais na “casa abandonada”.

Luísa Mell é nacionalmente conhecida pelo seu ativismo em proteção aos animais que sofrem maus-tratos, e recentemente, veio a público contar em suas redes sociais como foi o resgate de cães doentes que viviam na “casa abandonada”, onde mora, em condições insalúbres, a senhora Margaretti Bonetti.

Como foi divulgado pelo Fantástico, depois da investigação do jornalista Chico Felitti, do podcast investigativo da Folha de São Paulo: ‘A Mulher da Casa Abandonada’, existia uma história a ser desvendenda, por trás do casarão centenário, localizado Higienópolis, na cidade de São Paulo.

Em entrevista à Folha, Felitti afirmou que esperava descobrir uma pessoa marginalizada e abandonada pela sociedade, uma vítima. Mas a verdade é que o jornalista acabou por descobrir um caso de crime e crueldade que fala muito sobre o Brasil.

Ele descobriu que a proprietária era uma fugitiva da lei americana, depois de escravizar por 20 anos, uma funcionária. Através da investigação do jornalista, foi possível descobrir a verdadeira identidade da mulher que vivia no casarão abnadonado. Ela não apenas morava lá, ela se escondia.

A história revoltou não só os paulistas, mas também os brasileiros. Porém, a revolta deu lugar a uma espetacularização sórdida, onde foi criado um quadro sensacionalista.

Pessoas visitam o casarão, tiram fotos, e frequentam a rua diariamente para postar fotos em suas redes sociais, como se a situação fosse um espetáculo a ser compartilhado. E tudo isso, diz muito sobre como os brasileiros lidam com as injustiças, como as ações negativas de uma mulher ou homem brancos, acabam virando piada em pouco tempo.

Os animais

A ong de Luísa Mell recebeu a denúncia de maus-tratos e correu para fazer o resgate. Em seu Instagram, Luisa publicou um vídeo, no qual, posa junto dos animais resgatados e dá sua versão dos fatos.

No post, a ativista escreveu:

“Fomos chamados [à casa de Bonetti], pois havia denúncias que tinham gatos dentro da casa. Foi encontrada mais uma cachorra debilitada, que já está sob nossos cuidados.

Há 15 dias resgatamos duas. Uma com um tumor enorme e as duas com exames de saúde muito alterados. A casa é insalubre, imunda e coloca em risco toda a saúde da comunidade em torno”, contou revoltada.

Luísa lembrou a todos que, não existe ali uma vítima da sociedade, mas sim, uma criminosa.

“A criminosa é a Margarida. A vítima desta história é a mulher analfabeta que foi escravizada e maltratada por 20 anos! Não confundam as coisas. Ela nunca pagou pelo crime seríssimo que cometeu. E nem vai pagar. Inacreditavelmente.

E tem gente ainda querendo transformar em vítima a vilã da história”, desabafou.

Luisa contou mais sobre o que viu dentro da casa em uma entrevista que concedeu ao portal UOl, assista na íntegra:

*DA REDAÇÃO RH. Com informações Uol, Folha de São Paulo e G1.

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

RECOMENDAMOS









Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia