Já fui marinheira de primeira viagem. Hoje já não balanço tanto assim.

Sil Guidorizzi

Já fui marinheira de primeira viagem. Hoje já não balanço tanto assim. Eu aprendi a reconhecer os bons, os que não são passageiros.

Tenho o costume de sentir falta de pessoas importantes que de alguma maneira foram projeção de luz em minha vida.

E essas pessoas são raras.

Raras porque conseguiram fazer com que eu enxergasse o que há aqui dentro e não na distância do coração.

Eu tenho esse hábito de guardar com carinho esses momentos tão íntimos.

Sou um livro de cabeceira.

Minha história não se resume aos enganos, aos regressos, a tudo que vi partir.

Se resume em algo meu, a algo que guardei para um dia dividir com quem tem direito a um pedaço do meu céu.

Deve ser por isso que Deus sabe o que faz.

Eu aprendi a reconhecer os bons, os que não são passageiros.

Já fui marinheira de primeira viagem. Hoje já não balanço tanto assim.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS







COMENTÁRIOS




Sil Guidorizzi
Sou Paulista, descendente de Italianos. Libriana. Escritora. Cantora. Debruço-me sobre as palavras. Elas causam um efeito devastador em mim. Trazem-me â tona. Fazem-me enxergar a vida por outro prisma. Meu primeiro Livro foi lançado em Fevereiro de 2016. Amor Essência e Seus Encontros pela Editora Penalux. O prefácio foi escrito pelo Poeta e Jornalista Fernando Coelho. A orelha escrita pelo Poeta e jornalista Ivan de Almeida. O básico do viver está no simples que habita em mim.