Infelizmente, existem pessoas que desejam que o outro se dê mal para que elas se sintam um pouco melhor.

Essas pessoas carregam dores que não sabem nomear, porque viveram suas vidas olhando para fora, preocupados em serem melhores que os outros, não em virtudes, mas em ganhos materiais, posição social e, lutam, para preservar uma aparente superioridade, mas negligenciam o principal, o que vem de dentro!

Uma pessoa que precisa diminuir os outros para se enaltecer não é feliz consigo mesma.

Por andar pela vida, inconsciente, falta a ela, perspicácia, para perceber que seu interior, com o passar do tempo, obscureceu.

Pessoas que desejam o mal para as outras são viciadas em elevar a autoestima às custas dos outros, porque não possuem um pingo de amor-próprio.

Não seja essa pessoa que se preocupa mais em desprezar o que os outros fazem, dizem e pensam, do que em melhorar a si mesmo.

Aquele que está focado no caminho do amor, do perdão, da compreensão e da compaixão, sabe muito bem que autoestima não é amor-próprio!

Sabe que a autoestima depende da aprovação que vem de fora, precisa que tudo esteja indo bem no externo para que ela se eleve, enquanto o amor-próprio, depende, exclusivamente, do bem que cultivamos dentro, das virtudes e valores que construímos em nosso interior!

A pessoa que sente amor por si mesma nunca desmerece ninguém porque se encontra consciente de que o outro é um espelho que reflete imagens distorcidas dela mesma!

Mas por outro lado, quem vive procurando elevar a sua autoestima para não enlouquecer no torvelinho em que se encontra internamente, vê no outro um fantoche que, lhe concede(contra a sua vontade óbvio)a oportunidade de se exaltar e sentir um prazer imediato!

Ele depende de estímulos vindos de fora porque não consegue sentir amor por si mesmo!

Ele precisa que os outros o amem, o desejem, o valorizem, o engrandeçam e, sobretudo, precisa competir, vencer, destruir, humilhar…para se sentir orgulhoso por curtos períodos.

Esse orgulho é efêmero e passa rápido, por isso, ele sempre procura novas vítimas, ou tortura a mesma com muita frequência!

Quem desenvolve o amor-próprio, conquista também a autoestima, porque não se demora em comparações, se acolhe, compreende, aceita a realidade, sente compaixão, empatia e segue o baile, mesmo que nada esteja bem lá fora! Porque por dentro, tudo vai bem!

Ele sabe que, o que vem de fora é um lembrete do que precisa ser trabalhado e curado… dentro!

Portanto, escolha desejar o bem para si mesmo e para os outros! O mal já existe em cada um de nós e precisamos purificá-lo e não multiplicá-lo.

Peça para que o melhor aconteça e assim será!

Se você não deseja o mal a ninguém e é uma pessoa que só deseja o bem, escreva: “Eu desejo o melhor para mim e para os outros!”.

ALGUMAS PESSOAS PRECISAM DIMINUIR O OUTRO PARA ENALTECER AS SUAS QUALIDADES QUE SÃO POUCAS. NÃO SEJA UMA DESSAS PESSOAS.

Se você está se sentindo perdido e sente que precisa de um aconselhamento de luz, me chame no direct @escritoraiarafonseca e agende a sua consulta.

*DA REDAÇÃO RH. Texto de Iara Fonseca, jornalista, escritora, editora de conteúdo dos portais Resiliência Humana, Seu Amigo Guru, Homem na Prática e Taróloga. Agende uma consulta de Tarô para a Expansão da Consciência com a Iara. Foto de M. no Unsplash.

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

RECOMENDAMOS









Jornalista, escritora, editora chefe e criadora de conteúdo dos portais RESILIÊNCIA HUMANA e SEU AMIGO GURU. Neurocoaching e Mestr em Tarot. Para contratação de criação de conteúdo, agendamento de consultas e atendimentos online entrem em contato por direct no Instagram.