A ilusão da permanência: tudo está em constante mudança

Gabriela Mondelo

Hoje eu estava a caminho de uma situação que me gerou muita ansiedade: apresentar um trabalho que seria avaliado. E me fariam perguntas sobre ele. Medo.

Então, ocorreu-me um pensamento: esse momento da minha vida nunca mais se repetiria. Eu posso, sim, vivenciar situações parecidas. Mas nenhuma será exatamente igual ao que eu viveria no dia de hoje.

Essa etapa pela qual eu precisaria passar seria um momento único em minha vida. As pessoas com as quais eu iria conviver no dia de hoje, estariam na minha rotina apenas por algum tempo. Sabe-se lá por que caminhos a vida nos leva. E ao perceber que esse dia jamais se repetiria, ele tornou-se extremamente especial. Um momento que, até então, estava me causando ansiedade tornou-se perfeito.

Deixei de ficar ansiosa com o que eu estava prestes a vivenciar? Não. E o fato dessa ansiedade me causar desconforto tornou o momento ruim? Também não.


Enquanto eu me deslocava até o local, eu apreciava cada momento e, aceitando as circunstâncias como elas se apresentavam, pude encontrar grande satisfação. Pude perceber que, em essência, cada momento da nossa vida é perfeito à sua própria maneira. E que felicidade não significa viver apenas momentos agradáveis. Aliás, muita felicidade pode vir de aceitar desafios que nos geram certo desconforto.

Entendi que felicidade tem a ver com aceitar os momentos que vivenciamos de forma total: o bom, o “nem é tão bom assim” e até mesmo o desconforto.

Aceitar não significa resignar-se ao que nos faz mal. Aceitar é compreender que a vida só é completa, se pudermos nos abrir para as experiências de maneira verdadeira. Quando podemos aceitar nossas emoções como naturais, ao invés de julgá-las como positivas ou negativas, nós nos sentimos mais leves.

Quando percebemos que tudo é impermanente, compreendemos a preciosidade do momento presente. Pense bem: ele nunca voltará. Nunca se repetirá.

O que do momento que você vive hoje é bom? Quais relações são positivas?

Nossa tendência é sempre tentar nos livrar do desconforto e, com isso, perdemos a preciosidade dos momentos que vivenciamos agora.

Poder olhar para o que é positivo é libertador. Além de melhorar o nosso humor, poupa-nos imensa energia. É cansativo demais tentar arrumar tudo que gostaríamos que fosse diferente. E sempre haverá uma peça fora do lugar.
Olhe para as peças que você já encaixou. Valorize as próprias conquistas. Não é porque existe desconforto que não podemos ser pessoas felizes. Ajuda bastante lembrar que tudo está em constante mudança.
O que o incomoda? Relaxe, isso também vai mudar.

O que já é bom? Aproveite bastante, também vai mudar. É exaustivo lutar contra a força arrebatadora da mudança.
Sempre haverá algo bom em nossa vida, que não vai durar para sempre. E sempre haverá algo que gostaríamos de mudar e que, sim, também não vai durar para sempre.

Poder conviver com essa verdade, isso é aceitação. Isso é se permitir ser feliz agora. A felicidade não depende de metas. Depende da nossa postura perante a vida.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Gabriela Mondelo
"Por acreditar no potencial das pessoas em evoluir e em se renovar, além de trabalhar como psicóloga clínica, escreve textos sobre auto conhecimento e desenvolvimento pessoal"

COMENTÁRIOS