Idosas decidem morar juntas para vencer a solidão da velhice!

Só as mulheres sabem como é mais difícil para elas do que para os homens envelhecer, elas estão sendo apontadas como a população de sem-teto que mais cresce nos EUA.

Enfrentando um mercado de aluguel em alta e sem esperança de ter sua própria casa, a Sra. Maggie Shambrook, 65, e várias outras mulheres recorreram à fundação recém-formada Sharing With Friends.

Maggie teve uma carreira de sucesso e criou sozinha três filhos antes de ser despedida. Embora ela tivesse qualificações de pós-graduação, ela foi forçada a aceitar a aposentadoria.

“Perdi meu emprego e minha casa onde morava há 25 anos”, disse ela.

O saldo médio da aposentadoria de uma mulher nos EUA é de $ 157.000, em comparação com os homens que se aposentam com um super saldo médio de $ 270.000. A diferença é grande, não acham? E o motivo dessa diferença não é explicado em nenhum lugar.

Segundo ela, foi muito difícil conseguir alugar uma casa, ninguém queria alugar para ela por conta da idade avançda.

“Candidatei-me a 30 propriedades e não consegui encontrar um lugar para morar.”

Maggie Shambrook disse a ABC NEWS que gastar todo o dinheiro no aluguel é “devastador”.

Ela conseguiu alugar a área de baixo de uma casa, mas diz que não é “uma solução de longo prazo”, por isso, assim que tomou conhecimento sobre a oportunidade de comprar algo seu e compartilhar com outras mulheres da sua idade, ela logo se interessou.

A organização sem fins lucrativos, tem como objetivo fornecer uma oportunidade para as mulheres comprarem uma casa acessível e personalizada.

O protótipo foi projetado para caber em um terreno de 800 metros quadrados fornecido pela instituição de caridade.

A ideia é que cinco mulheres invistam cada uma US $ 120.000, para pagar a construção de uma acomodação acessível de cinco cômodos privados, com uma lavanderia comum, biblioteca e jardim.

maquete-do-conjunto-de-casas
Foto: Um esboço de conceito para a solução de habitação Sharing With Friends com cinco casas, área comum compartilhado. (Fornecido: Compartilhando com amigos).

A arquiteta por trás do projeto, Eloise Atkinson, disse que o desafio era equilibrar o custo com a habitabilidade.

“Isso gerou uma série de conversas sobre o que as mulheres estão preparadas para compartilhar e o que elas precisam ter como espaço privado”, disse Atkinson.

“Uma coisa a lembrar é que não existe uma solução geral.

“Mesmo se você conseguir cinco mulheres parecidas, você terá cinco conjuntos diferentes de prioridades e compromissos para lidar.”

idosas-decidem-morar-juntas-para-vencer-a-solidao-e-fugir-do-aluguel

As primeiras cinco mulheres a se comprometerem com o programa se encontraram em um workshop Compartilhando com Amigos.

Linda Hahn, 63, disse que parte do processo era explorar os desejos e necessidades de cada pessoa.

“Conhecer uns aos outros e entender os valores uns dos outros é importante porque essa é a base da comunidade”, disse ela.

O conceito não apenas fornece uma solução de moradia para mulheres solteiras, mas também aborda outra epidemia – a solidão.

Esse foi um fator importante na decisão de Barbara Symes, de 73 anos, de participar.

“Eu não tenho família nenhuma, então o senso de comunidade é importante para mim”, disse ela.

A presidente do Sharing With Friends, Susan Davies, disse que tem 120 mulheres em seu banco de dados interessadas em viver o conceito.

Ainda há obstáculos a serem superados, como leis de planejamento local, mas esse grupo de mulheres agora tem esperança de um amanhã melhor, mais amoroso, seguro e fraterno, junto de mulheres com as mesmas dificuldades e desafios!

Elas serão além de amigas uma família e mandarão para longe a solidão que muitas mulheres enfrentam na velhice.

*Foto de capa: Sob o conceito de Compartilhamento com Amigos, um grupo de mulheres investe em uma casa com algumas instalações compartilhadas. (Fornecido: Compartilhando com amigos).

*DA REDAÇÃO RH.

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

RECOMENDAMOS









Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia