Hoje, apenas agradeça a Deus! Feche os olhos, confie na sua prece, ofereça ao mundo gentileza e respeito

Sil Guidorizzi

Hoje, apenas agradeça. Feche os olhos e não conspire contra ninguém. Apenas ofereça gentileza e respeito a quem quer que seja.

Hoje eu só vim agradecer. Agradecer pela saúde, pela oportunidade, pela consciência mais plena. Vim agradecer o ar que respiro, às pessoas que amo, agradecer pelos momentos que me tornam uma pessoa mais saudável espiritualmente e mais vencedora por ter conquistado não coisas materiais, mas coisas que aliviam o espírito, transformando minha casa em um lugar menos agressivo e menos cheio de dor.

Estou feliz em saber que, lá fora, a vida me espera e que eu não espero nada de ninguém, mas que através das minhas escolhas posso ir além.

Sei que atravessar os dias pode ser algo complicado, mas acredito que nada venha fácil, justamente para que a minha evolução seja compatível com o que Deus quer de mim.

Eu só vim dizer a você, que agora lê isso: não desista dos seus sonhos, nem se deixe abater.
Não se feche, não se torne alguém amargo, alguém sem visão amorosa da vida. Perdoe e limpe as mágoas do seu peito. Dizem que mágoa significa: “má água”. Não se inunde de tristeza, nem se afogue no próprio sofrimento.

Sempre haverá uma parte que lhe caberá e dentro dela haverá tudo de bom. Não esqueça de que só você tem condições para isso. O que você mentalizar vai se materializar à sua frente e, em breve, você receberá essa bênção para continuar em busca do melhor.

Hoje, apenas agradeça. Feche os olhos e não conspire contra ninguém. Apenas ofereça gentileza e respeito a quem quer que seja.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS







COMENTÁRIOS




Sil Guidorizzi
Sou Paulista, descendente de Italianos. Libriana. Escritora. Cantora. Debruço-me sobre as palavras. Elas causam um efeito devastador em mim. Trazem-me â tona. Fazem-me enxergar a vida por outro prisma. Meu primeiro Livro foi lançado em Fevereiro de 2016. Amor Essência e Seus Encontros pela Editora Penalux. O prefácio foi escrito pelo Poeta e Jornalista Fernando Coelho. A orelha escrita pelo Poeta e jornalista Ivan de Almeida. O básico do viver está no simples que habita em mim.