Há pessoas que preferem o raso, há aquelas que amam o profundo!

Anieli Talon
ha-pessoas-que-preferem-o-raso-ha-aquelas-que-amam-o-profundo

Há pessoas que preferem o raso, há aquelas que amam o profundo! Relacionamento é um se lançar no precipício!

Um soltar, largar, permitir … fluir! Uma entrega sem garantias, dando a permissão para um novo que requer disposição, permissão, desejo, intenção, respeito e amor!

Muitas vezes, este “lançar no precipício” significa também, recomeços, deixar morrer os aspectos que não estão mais favoráveis para a transformação e permitir novos olhares, entendimentos e o desabrochar de novos sentimentos.

A vida é maravilhosa porque é dinâmica. Nada é, tudo está.

Saber o que se quer e o que merece, faz parte dessa metamorfose, a energia que move e faz tudo se manifestar.

E nesse movimento de escolhas algo fica, algo se vai…

Renúncias, aprendizados, novos entendimentos, novos olhares para a própria vida.

Saber quão profundo é o seu nado.

Há pessoas que preferem o raso, há aquelas que amam o profundo!

Na verdade, nós sempre sabemos o que merecemos –

Nós sempre sabemos o que é melhor para nós. Nosso corpo nos mostra isso o tempo inteiro.

O “se jogar” lembra um espaço em liberdade e ao mesmo tempo, entrega. E o se lançar tem mais a ver com confiança que capacidade.

Às vezes, é aí que mora o medo, de nao saber se será seguro, se terá futuro!. A mente prega peça e só o coração que entende de confiança dá o impulso. Um mergulho cósmico sem garantias.

Se lançar é renascer.

É permitir novos acontecimentos e deixar, ora eles guiarem, ora nós dando os comandos que o coração orienta.

Saltar, todos saltamos.

Seja para nascer, para morrer … seja para amar. Se lance e viva o que há para viver.

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS






COMENTÁRIOS




Anieli Talon
É jornalista, atriz e tem a comunicação como aliada. Escritora por natureza, tem mania de preencher folhas brancas com textos contagiados por suas inspirações.