‘Garotas bonitas não comem’: menina de 11 anos se suicida e expõe crueldade dos padrões de beleza

Resiliência Humana

O suicídio de uma menina irlandesa de apenas 11 anos tem chamado a atenção da opinião pública na Irlanda, não só pela naturalidade trágica da ocorrência, mas também pelas supostas razões que a levarem a tirar a própria vida.

O caso aconteceu em 2016, mas foi revelado somente agora. Milly Tuomey se suicidou após publicar uma mensagem em que dizia não aceitar a própria aparência.

Desde 2015 ela tem preocupado os pais, que foram alertados por amigos da filha.


Milly chegou até a ser matriculada em um acampamento psicológico no fim daquele ano, e nessa época foi descoberto um diário da garota onde ela falava sobre sua vontade de morrer.

Milly sofria tanto que chegou a se cortar e escrever “garotas bonitas não comem” com seu próprio sangue, segundo relato da mãe ao jornal The Irish Examiner.

Milly se matou aos 11 anos de idade


No dia 1º de janeiro de 2016, a jovem subiu para o seu quarto e afirmou estar entediada. Pouco tempo depois, ela foi encontrada no cômodo em estado crítico. Morreu após três dias internada no hospital.

O suicídio é uma questão que vem sendo tratada como crítica pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O ato é a segunda principal causa de morte de jovens entre 15 e 29 anos, de acordo com o órgão.

Ela escreveu “garotas bonitas não comem” com o próprio sangue

Só que o debate aqui é sobre padrões de beleza.

Uma pesquisa realizada pela marca de cosméticos Dove em 2014 aponta que, entre 6.400 mulheres entrevistadas, apenas 4% se definiram como belas. Além disso, 59% delas afirmaram sentir pressão para ser bonita.

O choque com o caso de Milly fez com que as pessoas, mais uma vez, chamassem a atenção para esse problema.

FONTEHypeness
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia

COMENTÁRIOS