Todos nós já fizemos uma coisa quando o coração mandava fazer outra!

Iara Fonseca

A gente erra. Isso é um fato! Não existirá um dia na vida em que faremos tudo certo, onde seremos agradáveis com todo mundo, ou que nos sentiremos totalmente com a consciência tranquila… Já fizemos coisas que nos arrependemos imediatamente, e já fizemos outras que fomos nos arrepender depois de algum tempo. Algumas vezes, não chegamos a nos arrepender, o coração fica gelado, calculista, e outras, temos a total noção de que deveríamos ter seguido o coração, mas agimos as pressas e o coração não funciona assim, ele pede tempo.

A falha é nossa, sim, sempre!

Errar é humano, vão dizer, mas muitos erros não são perdoados.

Todos nós já fizemos uma coisa quando o coração mandava fazer outra!

A vergonha vem acompanhada com o erro, nos sentimos envergonhados, nos isolamos, tentamos evitar olhar nos olhos…
Muitos ainda, se justificam, ou até esbravejam, para não precisar reconhecer os próprios erros, justamente porque se envergonham…

E a vergonha dói.

Pedir perdão fere o orgulho, e o orgulho é o que nos mantêm seguros…

Mas a maioria de nós… Não erramos porque somos ruins… Erramos buscando felicidade…Queremos ser felizes!

Porém, precisamos aprender que a felicidade de um… Pode ser a tristeza do outro, e é preciso tentar reparar, pedir perdão, mesmo que achemos que esse perdão não vai mudar nada.

O mal já foi feito… Não é mesmo? O que vai adiantar? Vou me humilhar, ouvir um monte de asneira… É o que pensamos quando a vergonha toma conta e não temos coragem de encarar o mal feito. Eu também me envergonho!

Somos imperfeitos e estamos aqui nessa escola que é essa vida, vivendo um dia após o outro, errando e acertando, nos lapidando, tentando entender o porquê que certas vezes, cometemos deslizes…

Remoemos, nos entristecemos com nossas atitudes, e passa um tempo, voltamos a errar… Afinal, somos humanos, não é mesmo?

Mas não há justificativa plausível. Erramos e pronto.

A única maneira de nos redimir, quando o perdão não basta, é tentar aprender com o erro, é internalizar o erro, tomar posse dele, admitir que ele é nosso, e que apenas nós, devemos conviver com ele. Apenas nós, precisamos aprender com ele…

Pode ser que não aprendamos nada, assim tão prontamente, mas precisamos tentar.

Nos colocar na posição de vítimas não vai ser bom, nem para nós, nem para o outro… Não somos vítimas de nada! Somos atores no teatro da vida, ora somos vilões, ora somos coadjuvantes, há quem pense ser a mocinha, e aqueles que estão certos serem os heróis… Mas vítimas, não somos… Tudo que nos acontece, de bom e de mal, serve como aprendizado, não devemos insistir no erro de quando errarem conosco ou quando erramos com alguém… o melhor a fazer é julgar.

Não… o julgamento é desnecessário…

Não sabemos as batalhas que esse alguém, tanto o que cometeu o erro, quanto o que foi lesado, vem enfrentando em suas vidas. Nada é justificável, mas quase tudo pode ser perdoado. Desde que haja um arrependimento sincero. E uma real motivação para a reparação do erro.

Quem erra, e todos nós erramos, praticamente, todos os dias, não queria ter errado… Muitos fatores estão envolvidos… Sejamos complacentes, mas nunca condescendentes!

Quando erramos, precisamos sim, que puxem a nossa orelha. Porque a maioria de nós, não percebe o erro tão facilmente… Precisamos ser alertados de nossas atitudes!

Um erro nem sempre é sinal de mal caratismo, pode ser apenas um deslize…

Por essas e por outras, aproveito agora para pedir perdão a todos que um dia posso ter ferido, ou feito algo desagradável. Me perdoem!

Tento aprender com os erros e não posso prometer não errar nunca mais, o que posso pedir é que me avisem, para que eu possa reparar e aprender com ele!

Se o meu erro for maior do que a minha vontade de repará-lo,nunca conseguirei ser melhor do que ontem…
Minha intenção, sinceramente, nunca foi ferir ninguém… Muitos vão dizer: De boa intenção o inferno está cheio… Pode ser que sim, pode ser que não, vai saber, né?

Mas se feri, peço perdão… Se não me perdoam, entendo, é direito…

Seguirei aprendendo com os meus erros, atenta, para que eles não sejam tão penosos a ponto de atingir de maneira caótica a vida de alguém…

Tarefa difícil para alguém imperfeito como eu…

Mas seguirei tentando…

Iara Fonseca – Gostou? Leia mais textos da autora: Caminhos fáceis nos corrompem, caminhos difíceis nos fortalecem!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Iara Fonseca
Jornalista, poeta, educadora social, fundadora e editora de conteúdo do Rede de Ideias: PRODUÇÃO DE CONTEÚDO. Seu interior é intenso, sempre foi, transforma suas angustias em textos que ajudam muito mais a ela própria do que a quem lê. As vezes se pega relendo seus textos para tentar colocar em prática aquilo que, ela mesma, sabe que é difícil. Acredita que viemos aqui para aprender a ser, a cada dia, um pouco melhor, para si mesmo, e para o outro!

COMENTÁRIOS