FILHO NÃO É SOLDADO PARA SALVAR CASAMENTO

Daniele Abrantes

Comumente, existe a estapafúrdia ideia de que ter um filho pode restaurar a sintonia perdida pelo casal. Com muita convicção, eu digo, até por experiência própria e de vários e vários casos que conheço e/ou já tomei conhecimento: filho NÃO resgata Amor. Ponto.

A criança já vem ao mundo, coitada, como o soldado destinado a comandar uma missão suicida no Vietnã. Esse bebê pode trazer momentos de alegrias para os pais, mas nunca solucionar as questões conjugais dos seus provedores. Afeto, não é amor, meu anjo.

A esdrúxula ideia de que a gravidez vai despertar no meninão que você insiste em chamar de marido o instinto paterno, é causada pelo imaginário feminino de que, ao engravidar, este parceiro ficará contigo e vai voltar a te amar, como antes.

As mulheres não muito seguras de si, dependentes emocionalmente do parceiro, acham que a gravidez vai gerar no homem aquele click que vai dar a ele, instantaneamente, a bendita maturidade.

Se o parceirão, teu “fechamento” não fecha contigo como antes, como você, meu anjo, acha que ele vai ter paciência, cuidado, afeto, zelo, parceria renovada com mais um pra tomar o tempo dele?

Filha, se o homem fica com esse papo de “Casamento é cabresto”,” Não tem porque formalizar nossa união”,“Amor,tem que ser livre”, “Casamento, é o suicídio do amor”, “Vamos ter animais de estimação como nossos filhos” , temos algumas opções plausíveis.

Esse cara não te leva a sério, ele mente, ou ele te trai com outra,ou está com você por puro comodismo,ou ele não tem maturidade o suficiente para ser responsável por outro ser além dele .


Se você ficar com ele sem cobrar nada,ok. Mas,se você começar a querer ter filho para “selar o amor” como prova do amor dele,te digo que ele ou vai te enrolar por meses, anos, ou vai colocar um monte de empecilhos pra não te assumir como mulher legítima bonitinho lá no cartório. Sabe porque ele estava com você todo este tempo?

Porque você foi muito permissiva, deixou o cara muito “solto”, sabe?

Esse cara pode ser um galanteador que, pelas suas costas, pinta e borda.

E, provavelmente, quando ele achar uma mulher com mais grana que você, sem filhos e que não cobre nada dele, ele pode vir a te chutar sem pensar duas vezes, a não ser que ele saiba as “limitações “ dele e saiba que você vai aguentar coisas que nenhuma outra mulher com a estima lá em cima, aturaria.

Um cara desses é uma tremenda furada. Por favor, não tente engravidar desta criatura, por amor a este ser inocente que vai nascer. Homem assim quase nunca ama ninguém de verdade, a não ser,ele mesmo, o objetivo dele, a carreira dele, “ O fantástico mundo de Bob”,dele.


Ele pode ser até grato a você e ter te amado no passado, mas, se continuar nesta lenga lenga, aceite: Ele não te ama o suficiente para ter esta responsabilidade contigo. Fato.

Tem ainda o cara que é um eterno adolescente.

Aquele que vive de sonhos e glórias de outrora. Este cara não vai te largar porque você virou meio que a “mãe” que ele não teve na infância, sabe?

Daí, como você o apóia em tudo, ele vai até ficar contigo, mas, como não quer trabalhar no que não gosta, ele vai te enrolar também.

Ele passa a imagem de bobão, de gente tranquila, mas, certeza de que,se tiver oportunidade, vai te trair também,como forma de autoafirmação. E ele não vai querer gastar com uma criança para satisfazer sua vontade de ser mãe até ele realizar os sonhos dele. Primeiro, ele, depois, você.

Quiçá, láááááá na frente, num futuro anos luz da Terra, ele queira uma criança. Sério, você vai mesmo ser estepe?


Vai mesmo se sujeitar a isto e ainda tentar engravidar de alguém assim?

Pensa, se sua vida já não é como você queria, como acha que um bebê, que cobra atenção o dia todo, que implica gastos, vai unir vocês?

Seu corpo, vai mudar.

Se o cara não te procura como antes para sexo, como ele vai te olhar agora barriguda, meu anjo?

Não vai.Sinto lhe dizer.

Gente assim, raramente muda. Tenha em mente que NADA,nem NINGUÈM muda o outro. E aí, na sua gestação, quando você estiver mais precisando de apoio, este cara vai te fazer sentir mal consigo mesma, vai te culpar por ter sido descuidada, provavelmente, vai te trair, vai te dar cada vez mais “perdidos” e você vai passar esta angústia toda para esse bebê, que vai nascer cheio de problemas devido ao seu choro no parto porque não teve uma gravidez tranquila.


Entenda, casamento, filho, é coisa muuuuito séria.

Tem que haver plena união ,harmonia, parceria.

Tem que ser algo muito ansiado por ambos. Mais do que suas realizações pessoais, esta criança tem que ser, pra vocês, o Mundo.

Ele, por sua vez, fantasia que, virando mãe, sua mulher vai se dedicar muito mais àquele que proporcionou essa possibilidade a ela.

Vai viver para a nova família .

Esse pensamento mágico de que o fruto da união do casal detém a capacidade de dissolver os problemas frustrará o casal , trazendo para esta criança a árdua responsabilidade de manter esse casal sempre junto.


Essa criança vem ao mundo com a missão kamikaze de unir a família como super bonder.

Posteriormente, esta criança vai se tornar uma criança insegura emocionalmente, cheia de traumas, porque vai estar no meio de um campo de guerra. De um lado,o pai ataca que não queria ter filhos.

Do outro, a mãe, chorosa, o chama de insensível. Não vão se olhar na cara nos jantares de família e as fotos, unidos, sempre com sorrisos falsos, fingidos.

Uma “família margarina “ completamente desestruturada e infeliz, porém, contudo, entretanto, todavia, perfeita pro Facebook, pro Insta, pro Zap Zap..

A criança vai logo se tornar, caso não tenha acompanhamento psicológico devido, um adolescente inseguro, ou introvertido, com alta libido sexual, como forma de compensação externa de amor e terá dificuldades em se estabelecer em situações que exigam responsabilidades.

Vai mudar de emprego várias vezes, e de parceiros também.


Se encontrar ajuda, durante sua jornada, vai querer se casar cedo, com alguém que o ame mais do que ele mesmo, como forma de compensação de amor.

Ou, por outro lado, vai se esquivar de toda relação padrão, fugindo das normas estabelecidas socialmente.

Entendido isso, a pessoa que insistiu para ter o filho para salvar a relação, inconscientemente, usa recursos, até não saudáveis, para cumprir seu objetivo.

A criança, provavelmente, desenvolverá uma doença ou limitação que dê preocupação aos pais.

Desviando o foco do problema conjugal, a preocupação com o filho é tão grande, que a crise no casamento se torna secundária ou até esquecida.

Filhos, são herança de amor. Precisam ser tratados com carinho ,respeito, cuidado. Precisam, antes de serem gerados, amados. Filhos, são legado, não soldados. Não os sacrifiquem.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS







COMENTÁRIOS




Daniele Abrantes
Sou jornalista de espírito vintage, que ama compor músicas ,pintar, e escrever sobre assuntos voltados à compreensão das relações humanas e da profundidade da alma. Acredito que as duas maiores forças que possuem o poder de mudar o nosso dia a dia são o Amor e a Empatia. Grata por compartilhar com vocês esta jornada.