Faça um favor a você mesmo: Aceite!

Iandê Albuquerque

Aceite que o outro não vai sentir, querer, falar ou demonstrar na mesma intensidade, frequência e transparência que você. E principalmente, não se culpe quando as coisas não acontecerem da maneira que você pensou que aconteceria.

Aceite que às vezes o outro não vai te dizer quando estiver caindo fora. Outras vezes você vai tentar encontrar respostas pra explicar a fuga de alguém do teu peito, mas entenda, se alguém foi embora por escolha própria é porque não existem motivos para que esse alguém permaneça ao teu lado.Apesar da confusão, você deveria agradecer. Apesar da bagunça que ficou, aceite o silêncio e a fuga do outro como resposta.

Algumas vezes você vai tentar por dois,você vai querer insistir sozinho em algo que não faz mais sentido só porque o sentimento de que você falhou não te deixa ir embora em paz. Mas perceba, você tentou. Aceite que as coisas não dependem só de você, amar tem que ser recíproco. Talvez alguém suma da sua vida, depois de uma sequência de instantes memoráveis, talvez alguém se afaste de você mesmo depois de tantos encontros extraordinários, mesmo depois de uma conexão que há tempos ninguém despertava em você. Entenda que a liberdade do outro, por mais admirável que possa ser, inevitavelmente poderá te machucar.

Aceite que as pessoas não precisam ficar ao teu lado se não quiserem, e desculpa a sinceridade mas você vai precisar aceitar que algumas pessoas – talvez a maioria delas – vão sumir sem prestar socorro, vão pular fora sem te deixar um aviso, vão fugir de algo e não vão te deixar sequer um “foi bom te conhecer”. Aceite que você precisará eliminar suas expectativas, será necessário. Quando isso acontecer, aceite se doer mas em hipótese alguma se culpe pelas escolhas do outro.

Por fim, aceite que, apesar de tudo a sua companhia será incomparavelmente a melhor que você pode ter.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Iandê Albuquerque
Sou recifense, 24 anos, apaixonado por cafés, seriados e filmes, mas amo cervejas e novelas se houver um bom motivo pra isso. Além de escrever em meu blog pessoal e por aqui, escrevo também no blog da Isabela Freitas, sou colunista do Superela e lancei o meu primeiro livro em Novembro de 2014 pela Editora Penalux. .

COMENTÁRIOS