Como o ex-ministro do Afeganistão virou entregador na Alemanha

O Ex- Ministro das Comunicações do Afeganistão concedeu uma entrevista que foi divulgada pela agencia de notícias AFP contando como foi que ele decidiu trabalhar como entregador na Alemanha.

Sayed Sadaat trabalha como entregador de comida e ganha pouco mais de um salário-mínimo no país.

A história do ex-ministro afegão ganhou destaque após a tomada do poder do Talibã.

Sayed Sadaat, tem 50 anos, e decidiu se mudar para a Alemanha em dezembro de 2020 na esperança de um futuro melhor. Ele se instalou na cidade de Leipzig, no leste alemão, e por conta da dificuldade com a língua, não conseguiu emprego na sua área e decidiu aceitar o emprego de entregador que julga ser uma atividade honesta e que lhe dá o sustento que precisa.

De fato, a vida do ex-ministro parece estar mais tranquila, para ele, a bicicleta, o uniforme e a mochila, onde carrega os pedidos, não o torna menos importante, aliás, serve de exemplo para milhares de pessoas que desejam recomeçar.

Sayed trabalha 6 horas, de segunda a sexta-feira; e de meio-dia até ás 22h nos finais de semana. Ele ganha 15 euros por hora (91 reais, em conversão direta) e afirma que valor é o suficiente para pagar suas contas. O salário-minimo na Alemanha é de 9 euros por hora.

Para ele, esse é só o primeiro passo até que ele consiga aprender a língua, pois a barreira da língua o impede de conseguir salários melhores.

“Não tem por que ter vergonha. É um trabalho como outro qualquer. Se há emprego, é porque há uma determinada demanda e que alguém deve se encarregar de satisfazê-la”, disse em entrevista para a agência de notícias AFP.

História

Sayed Sadaat, ex-ministro do Afeganistão, virou entregador na Alemanha (JENS SCHLUETER/AFP/Getty Images)
Sayed Sadaat, ex-ministro do Afeganistão, virou entregador na Alemanha (JENS SCHLUETER/AFP/Getty Images)

Sayed trabalhou para o governo de 2016 até 2018, e explica que resolveu deixar o cargo por desavenças com pessoas próximas ao ex-presidente – que fugiu do país assim que o Talibã tomou o poder – e por conta da corrupção que acontecia dentro do governo afegão.

Assim que deixou o governo, ele ainda conseguiu um emprego como consultor no setor de telecomunicações no Afeganistão. Porém, quando percebeu a escalada do Talibã, decidiu deixar o país antes que fosse tarde.

E ele sente que fez o certo, e que saiu do país na hora certa. Agora ele está recomeçando, não do zero, mas de um outro ponto de vista, e está muito bem, seguro e confiante de que, em pouco tempo, as coisas irão melhorar para ele por lá.

Ele acredita que seria uma fonte muito importante para o governo Alemão. Segundo ele, ele poderia indicar caminhos para uma melhor comunicação entre os países, mas antes disso, ele se dedica a aperfeiçoar o seu alemão.

*DA REDAÇÃO RH. Com informações Agencia de Noticias AFP e G1. Foto:(JENS SCHLUETER/AFP/Getty Images).

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

RECOMENDAMOS









Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia