Eu venho de histórias mal contadas, e hoje o medo se faz presente em muitas de minhas decisões.

Re Vieira

Eu venho de histórias mal contadas, e hoje o medo se faz presente, por isso… Você me assusta! Não existe nada mais que eu tenha pensado desde que nos conhecemos. Seu jeito carinhoso, gentil, brincalhão, sua voz doce e serena.

Chegou todo garoto grande sabendo exatamente o que quer, tu que seguras minhas mãos me trazendo a segurança de um sentimento que ainda tenho medo de experimentar.

Eu venho de histórias mal contadas, e hoje o medo se faz presente em muitas de minhas decisões.

Meu jeito espalhafatoso pode ter te assustado um pouco, mas juro que nada foi proposital.

Queria me jogar nessa história sem o “E SE”, para atrapalhar, você tão cheio de emoções e eu presa na racionalidade.

Tu me enche de mimos e carinhos, que chego a me perguntar de onde pode brotar tanto sentimento assim?

O toque dos seus lábios, a ternura da sua pele e a suas palavras de saudades diárias me fazem continuamente pensar, será que mereço esse amor de novela, este mesmo que a tanto tempo venho a desenhar?

Queria não ter medo do peso do sentimento, e então simplesmente por completa a ti me entregar, estou em uma luta constante, entre o medo e o querer, te pedi um pouco de paciência, para que por ti eu venha realmente me apaixonar.

É maravilhosa a sensação de poder fazer planos nos quais você também irá pertencer, o destino nos apresentou, e da minha parte prometo deixar as coisas finalmente acontecerem, que seja os céus, os ventos ou o universo, mas a questão é que você chegou, tal como um dia eu sonhei.

O medo me apavora, mas estou disposta a pagar pra ver, e que se novamente eu tiver que me apaixonar, e a essa história me entregar, então que seja com você!

COMPARTILHAR




COMENTÁRIOS




Re Vieira
Re Vieira, guria apaixonada pela vida, escorpiana formada em direito, amante das palavras, ama café, gente divertida e vinhos, sou aspirante a escritora, louca de intensidade e sobrenome, tenho 27 anos mas perco a maturidade diante de um sorvete com gomas de mascar, me convidem pra beber e viramos amigos de infância.