Eu encontro no teu sorriso, mil motivos para o meu.

Jéssica Pellegrini

“Se não eu, quem vai fazer você feliz?” Você pode me chamar de louca. Dizer que eu não tenho juízo. Você pode me achar maluca, afirmar que eu perdi alguns parafusos no caminho. Você pode me julgar, apontar o dedo e rir da minha cara. Você pode me achar imprudente, sem limites ou irresponsável. Você pode ter certeza que estou bêbada, ou que não vou me lembrar no dia seguinte. Pode achar que eu vivo na emoção e não sei o que é ter razão. Pode dizer que eu sou impulsiva, que eu não penso nas consequências dos meus atos. Pode me achar corajosa, mesmo que eu não seja. Você pode o que você quiser, você pode. Só você, e mais ninguém.

Você pode brigar, implicar e ficar de saco cheio. Eu vou tentar resolver. Você pode sentir ciúmes da minha sombra, que eu vou achar fofo. Você pode estar com fome, em crise ou passando por algum momento delicado. Estarei do seu lado, te dando a mão e te apoiando a superar qualquer dificuldade. Sou dessas que valoriza a lealdade, talvez você não saiba o que é isso, mas vem comigo que eu te conto no caminho. Divida comigo os seus medos, receios e angústias. Me convide a entrar, que eu faço da sua casa o meu abrigo mais seguro.

O fato é, que eu faço qualquer coisa no mundo para te ver sorrindo. Eu conserto, mudo os móveis de lugar e releio o seu manual de instruções. Chuto a pedra para você não tropeçar, te surpreendo com o seu chocolate preferido e fico molhada na chuva para te emprestar o meu guarda-chuva. Ando no meio da rua para te manter em segurança, durmo na beira da cama para te deixar no cantinho. Compro presentes, te entrego rosas e breves declarações dizendo o quanto o amor é lindo. Escolho a contramão para te encontrar mais rápido, brigo com o relógio quando as horas parecem ficar intactas e te ligo, eu sempre te mando qualquer sinal de fumaça como uma garantia de que você não vai me esquecer. Nem mesmo por um minuto. É muito, todo tempo é muito sem você.

Eu ignoro o que não me agrega. Deixo de lado quem não se importa. Pego todas as suas dores como se eu fosse a sua dona. Eu não tenho limites por você. Fico furiosa quando alguém te ofende, quando alguém duvida da sua capacidade de ser ou estar. Você é incrível, e eu morro de orgulho. Não é por nada, mas até a forma que você respira acaba, de uma forma ou outra, me inspirando a viver. Eu torço de alma e coração quando algo precisa dar certo na sua vida, e comemoro duas vezes ou mais, se conquistou qualquer tipo de vitória. O seu aniversário é todo dia, você está de parabéns e, nesse caso, a sortuda sou eu por saborear esse delicioso bolo quando eu bem quiser. Me preocupo, saiu correndo e tenho ânsia em acertar. Faço brincadeiras sem graça, piadas sem sentido e danças sem noção. No final das contas, você sorri e eu me derreto toda. Você me desmonta, me encanta, e talvez isso seja realmente insano. Sou louca por você, me interne no seu colo.

Eu cuido, mais de você do que de mim. Tenho amor próprio, claro, mas é apaixonante ter você nos meus braços. E sei, também, que por vezes exagero no carinho, mas não consigo ser diferente. Não com você, não tem como. Sou eu quem te esquento, nesse frio congelante. Quem escolhe a sua roupa, quem sente prazer em te colocar no banho e depois fazer cafuné até você pegar no sono. Erro por ser demais, mas não consigo ser menos. Você merece uma pessoa inteira, sem metades. Sem misérias, sem mendigar, sem pedir.

Eu faço sem você imaginar. E essa é a graça da coisa. Talvez você não saiba o quanto é especial e singular, mas eu faço questão de te mostrar isso. Não como uma obrigação, mas por liberdade de escolha. Enquanto você decidir ficar, o que eu espero que seja para sempre, todos os seus sorrisos fazem parte da minha responsabilidade. Te ofereço mais do que comodidade, comida, casa e roupa lavada. Eu te ofereço tudo o que sempre procurou. E diferente dos outros casos, do seu antigo acaso, comigo você só precisa existir porque, de resto, eu faço acontecer.

Eu só preciso de uma chance para fazer tudo isso valer a pena.

Não negue a felicidade!

Roube-me para você…

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Jéssica Pellegrini
Nunca confie em uma escritora confusa e romântica. As controversas entre um texto de amor e outro de desilusão, podem causar questionamentos pessoais. Consequentemente, sequelas mais graves.

COMENTÁRIOS