Estudo mostra que preferir gatos está associado a alta inteligência

Resiliência Humana

Estudo mostra que preferir gatos está associado a alta inteligência

por Modi Ramos

Embora existam cada vez mais pessoas no mundo que possuem gatos, parece que os cães reinaram muito tempo supremos. E eu posso entender o apelo deles. Mas acho que não é preciso dizer que os cães não são para todos. Cães dão muito trabalho. E os cães também precisam caminhar.

Às vezes, os gatos podem ser exigentes, mas os cães são exigentes, o dobro. Preferir gatos é algo que nunca conseguimos explicar, defender ou justificar. Embora as pessoas que gostam de cachorros provoquem os amantes de gatos do mundo, somos de pele grossa – assim como nossos amigos felinos!

Para algumas pessoas, como nós, gravitamos naturalmente em direção aos gatos. E não há nada de errado nisso. No final do dia, é sua decisão inteligente. E você nunca deve sentir que preferir gatos é uma coisa ruim!

Mas sejam quais forem suas preferências, muitas pessoas rotularam injustamente os donos de gatos de “reclusos” ou “introvertidos” e até “anti-sociais” em comparação com aqueles que são cães dedicados.

Felizmente agora os amantes de gatos podem ter uma conotação nova e muito mais favorável: altamente inteligente!

Sim, está certo.

De acordo com um estudo sobre o assunto, entre 600 participantes, foi demonstrado que os donos de gatos e os que são atraídos pelo tipo felino em geral têm um QI mais alto.

Que tal preferir gatos o torna mais inteligente, exatamente? Bem, aqui está o que eles encontraram …

Uma pesquisadora associada ao estudo, Denise Guastello, professora associada de psicologia na Universidade Carroll, em Waukesha, Wisconsin, diz:

“Faz sentido que uma pessoa com cachorro seja mais animada, porque ela vai querer estar lá fora, conversando com as pessoas, levando seu cachorro … Considerando que, se você é mais introvertido e sensível, talvez você está mais em casa lendo um livro e seu gato não precisa sair para passear. ”

Para conduzir suas pesquisas sobre preferências de cães e gatos, os pesquisadores analisaram 600 estudantes da Universidade Carroll. Eles avaliaram vários outros fatores, incluindo traços de personalidade e interesses. Enquanto 60% dessas pesquisas eram amantes de cães, apenas 11% eram amantes de gatos, enquanto as outras percentagens alegavam gostar dos dois animais de estimação igualmente, ou nenhum deles.

Parece que, com base em todas as perguntas e pontuações entre os participantes do estudo, foi descoberto que os donos de felinos tiveram uma pontuação mais alta em termos intelectuais e foram considerados mais “intelectualmente curiosos” em comparação com outros.

Em relação ao estudo, psicanalista e proprietário da Clínica McKeown, Steve McKeown disse à UNILAD:

“… As pessoas com cães podem ser mais sociais e extrovertidas e as pessoas com gatos são muito mais sensíveis e de mente aberta”.

Ele também observou que os donos de gatos eram menos neuróticos que os donos de cães.

Aqueles que preferem gatos tendem a não ser conformistas, alguém que defende o que acredita, apesar do que o outro pensa, o que de muitas maneiras talvez reflete a independência pela qual os gatos são famosos! E as pessoas com gatos também pontuam mais alto nos testes de inteligência e são mais instruídas.

Donos de gatos são mais propensos a possuir diploma universitário do que os donos de cães. Pessoas instruídas tendem a trabalhar mais horas e optam por animais de estimação que complementam suas circunstâncias pessoais e estilo de vida.

Coincidentemente, um estudo realizado em 2010 descobriu que dos 4.500 participantes, os amantes de cães tendem a ser mais extrovertidos.

Este mesmo estudo mostrou que os amantes de gatos foram relatados como conscientes, com um forte desejo de seguir regras. Assim como os felinos, parece que nós, os gatos, preferimos uma rima e uma razão a tudo o que fazemos!

*Via Cole and Marmalade. Tradução e adaptação REDAÇÃO Resiliência Humana.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS







COMENTÁRIOS




Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia