“Estou preso a uma situação que me machuca e me sinto incapaz de fazer o que é preciso!”

Sentir-se preso na vida é uma situação relativamente comum. Quase todos nós, em algum momento, nos sentimos presos em um lugar, um papel, um relacionamento ou uma situação na qual não nos sentimos confortáveis. Claro, sentir-se preso não é agradável.

Em muitos momentos é possível que a gente se sinta profundamente preso, oprimido e abatido porque somos incapazes de dar à nossa vida o impulso que desejamos.

Uma sensação pegajosa de peso nos envolve e nos ancora onde estamos e nos impede de nos mover em qualquer direção. Quando esse sentimento é mantido ao longo do tempo, pode alimentar a perda de sentido da vida e acabar se transformando em depressão e desamparo.

A verdadeira razão pela qual você se sente preso

Mil e uma razões podem ser invocadas para explicar o sentimento de estagnação na vida. Alguns podem se sentir presos a um trabalho monótono que não lhes oferece as oportunidades profissionais que gostariam, outros em um relacionamento que deixou de satisfazê-los e se tornou uma fonte de conflito, e ainda outros podem se sentir presos a uma situação geográfica ou social contexto. que o consideram opressivo e deprimente.

Porém, a verdade é que quando você se sente preso na vida, você experimenta uma paralisia indesejada que, geralmente, vem de ter passado muito tempo em um lugar existencial para o qual parece não haver saída, porque quando você olha para o horizonte, você não vê qualquer mudança possível.

Basicamente, sentir-se preso na vida é o resultado de acreditar que você deveria ser algo que não é. É um sentimento que é gerado quando você pensa que a vida deveria ser diferente do que ela é.

Portanto, essa sensação de paralisia nada mais é do que a distância entre o que você é e o que gostaria de ser, entre o que acontece e o que gostaria que acontecesse.

De certa forma, sentir-se preso é sempre a expressão de uma insatisfação vital com quem somos ou onde estamos, quando não conseguimos enxergar a saída para chegar à situação ideal.

Depois de muitos meses de pandemia e monotonia, não é incomum esse sentimento de estagnação flutuar no meio ambiente e muitas pessoas sentem que não foram capazes de seguir em frente, experimentar coisas novas, descobrir novos lugares ou até mesmo se animar. Freqüentemente, a rotina é o terreno no qual a sensação de estagnação cresce.

Por outro lado, o estilo de vida que levamos também pode amplificar essa sensação de paralisia.

Como explicou o filósofo Byung-Chul Han, a sociedade do cansaço nos leva à autoexploração, o que nos leva a um estado de fadiga existencial permanente que nos torna difícil manifestar nosso impulso vital e buscar algo significativo que nos preencha e nos dê direção além do trabalho e das obrigações sociais.

O que fazer quando você se sentir preso na vida?

1. Renda-se a esse sentimento de paralisia

Se você se sente travado na vida, apenas reconheça e aceite a sensação de estar travado. A pior coisa que você pode fazer é se enredar na teia de “deveria”, “possui” ou “deveria”.

Se você relaxar e se render a esse sentimento, entrará em um período de tranquilidade em que as coisas começarão a fluir.

Observe os pensamentos e sentimentos que você experimenta quando se sente bloqueado existencialmente ou percebe que algo está errado.

Se você aceitar esse sentimento, não o afetará. Você precisa perceber que este é apenas um rótulo que você colocou em um momento de sua vida que não atendeu às expectativas que você tinha.

Aceitar que você se sente preso não fará com que esses sentimentos desagradáveis ​​desapareçam por mágica, mas pelo menos não o dominarão a ponto de arruinar sua vida.

O engraçado é que, quando você aceita que está estagnado, o milagre ocorre: você deixará de estar estagnado porque terá dado um passo para fora do loop em que estava.

2. Prepare-se para tomar decisões

“Insanidade é sempre fazer a mesma coisa e esperar resultados diferentes a cada vez”, disse Albert Einstein.

Isso significa que, se você deseja sair dessa fase de estagnação, deve fazer algo diferente para gerar a mudança que deseja. Se você seguir a rotina, essa sensação de paralisia não vai embora por si mesma.

Claro, tomar uma decisão não é fácil. Se você atingiu o ponto de paralisia, provavelmente é porque foi levado pelas circunstâncias sem tomar decisões.

Você foi levado pelo fluxo de eventos porque era o mais simples. No entanto, para sair desse loop, você deve se perguntar: O que o incomoda nessa situação. O que é insatisfatório para você?

Que coisas se tornaram fonte de infelicidade? É justo que você se conforme com essa situação?

Em seguida, inicie o caminho da mudança. O que você pode fazer para sair desse contexto? Examine suas circunstâncias e pense no que você pode fazer agora para deixar para trás a frustração que está sentindo. Exceto em situações muito extremas, algo sempre pode ser feito.

O que te animaria? O que te faria feliz? O que faria você sentir que está progredindo em sua vida?

O segredo é tomar pequenas decisões que o levem aonde deseja. Você pode não conseguir ir do estado atual para o estado desejado em um piscar de olhos.

Não se desespere, apenas realize pequenas ações que o tirem da apatia atual e o aproximem da situação que deseja.

3. Abrace a espontaneidade e divirta-se

Erich Fromm pensava que a espontaneidade é um reflexo do impulso da vida, que é feito para fluir livremente.

Quando esse fluxo é frustrado, geralmente porque tentamos nos encaixar na sociedade e atender às expectativas dos outros, paramos de responder aos nossos impulsos, nos desconectamos de nós mesmos e cria-se uma distância entre o que queremos e o que fazemos.

Com o tempo, quando essa distância aumenta, perdemos a espontaneidade e a capacidade de nos divertir. Então nos sentimos presos na vida. Portanto, uma das estratégias para recuperar a vontade de viver e voltar a imergir nesse fluxo vital é recuperar a espontaneidade.

Quando você sentir vontade de fazer algo, faça! Conecte-se com seus impulsos internos e dê-lhes a oportunidade de se expressarem.

Se você tem vontade de dançar, escrever, pintar, fazer uma viagem … continue sem se perguntar por quê. Na verdade, não teríamos que procurar nenhuma desculpa ou motivo para nos divertir e curtir a vida.

As atividades mais espontâneas e criativas geralmente não têm outro propósito além de nos fazer sentir bem. Eles geralmente não têm um fim, mas são um fim em si mesmos.

A verdade é que sempre há algo a fazer quando você se sente paralisado, porque todas as áreas de sua vida não estão completamente paralisadas. Um pequeno empurrão em uma área pode gerar um efeito de bola de neve que envolve o resto das esferas e o coloca em movimento novamente.

Em qualquer caso, lembre-se de que se sentir paralisado é apenas um período, como muitos outros na vida.

Às vezes, não devemos sair correndo fazendo mil coisas ao mesmo tempo. Às vezes, precisamos parar ou até mesmo andar em círculos. Não há nada de errado nisso.

A sensação de que estamos sempre avançando é apenas uma ilusão e cria uma pressão desnecessária. É possível que essa paralisia seja apenas externa porque dentro de você as mudanças necessárias estão ocorrendo para dar o próximo salto em sua vida.

*DA REDAÇÃO RH. Via RT. Texto de JENNIFER DELGADO SUAREZ – Sou psicóloga. Por profissão e vocação. Divulgador científico em tempo integral. Neurônio agitador e gerador de mudanças nas horas vagas.

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

RECOMENDAMOS









Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia