Este ano, por favor, pare de lutar batalhas que você não pode vencer

Resiliência Humana

Este ano, por favor, pare de lutar batalhas que você não pode vencer

Por Brianna Wiest

Por favor, pare de lutar batalhas que você não pode vencer.

Por favor, pare de tentar comprar o seu caminho para a auto-estima.

Por favor, pare de tentar convencer as pessoas a amar você quando elas não tiverem a intenção.

Pare de se preocupar com problemas que você não pode resolver.

Pare de discutir com pessoas que não pretendem ouvi-lo.

Na vida, existem batalhas que podemos vencer e batalhas que não podemos.

Se fosse um jogo e você soubesse que o único resultado era uma perda inevitável, você nunca participaria. Então, por que você continua jogando esses jogos mentais consigo mesmo, nos quais o único resultado possível é a redução de sua qualidade de vida?

Quando você se preocupa com um problema que não é seu a resolver, está travando uma batalha que não pode vencer.

Você está tentando pensar demais em controlar o comportamento de outra pessoa. Você está atribuindo mal as escolhas deles a um julgamento sobre quem você é. Pior, você acha que todo mundo ao seu redor precisa ficar bem para que você se sinta estável.

Essas são todas as opções que roubam sua autonomia e poder.

Não há outra conclusão a não ser que você se torna progressivamente mais maníaco e controlador, e se reduz lentamente à pior versão possível de quem você poderia ser.

Quando você tenta impor uma auto-estima, está travando uma batalha que não pode vencer.

Você continua tentando fixar o problema em outra coisa – você acha que é mais uma atualização de aplicativo, mais uma ótima foto do Instagram, mais uma roupa ou mais um procedimento de beleza, mas está longe de estar realmente confortável consigo mesmo.

Você está colocando seu senso de si mesmo em algo fora de você, algo sempre além do seu alcance.

Até que você esteja disposto a ficar quieto, e se sentir digno simplesmente oferecendo sua presença, nada ao seu redor fará você se sentir melhor, apenas o afastará de si mesmo.

Quando você tenta convencer alguém a amá-lo, está travando uma batalha que não pode vencer. O amor é uma coisa que flui livremente. Se alguém não der sem esforço, não vale a pena perseguir.

Se você chegou ao ponto em que está tão desesperado pela presença de alguém que lhe mostrou que não se importa, eventualmente você precisa se perguntar o que eles estão fazendo por você que você não pode fazer por si mesmo.

Eles estão fazendo você se sentir seguro, dando direção, fazendo você se sentir desejado?

Seja o que for, você precisa começar a atender a essa necessidade de uma maneira que seja realmente sustentável.

Um amor implorado não é amor, é obsessão.

Quando você tenta discutir com pessoas que não têm a intenção de ouvi-lo, está travando uma batalha que não pode vencer.

Não, é claro que você não quer desistir de ninguém, mas, eventualmente, você precisa perceber que todo o estresse e energia que você dedica tentando convencer alguém a pensar de uma maneira que ele se recusa – mesmo que seja melhor para eles a longo prazo – é apenas a sua própria energia desperdiçada.

Se alguém não está disposto a mudar, não vai mudar, e nada que você diga ou faça irá alterar isso.

Eventualmente, você deve decidir que se importa o suficiente para parar de travar batalhas injustas com você.

Eventualmente, você precisa decidir que não vai continuar investindo seu tempo e energia em pensamentos e pessoas que nunca lhe devolverão nada. Eventualmente, você tem que parar no meio da espiral e admitir a derrota.

Quando você percebe que não há como vencer, você entende que não vale a pena, e aceita que não é sobre perder a luta, é sobre se libertar da necessidade de lutar.

*Tradução e adaptação REDAÇÃO RH.
*Com informações de Thought Catalog. Não é permitido a reprodução desse para fins comerciais.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS






COMENTÁRIOS




Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia