Em caso de separação, o que nunca deve fazer!

Resiliência Humana

Acabou a sua relação. E, claro, senta-se no sofá a chorar e a pensar “onde é que errei”. Pois, é, nem sempre sabemos tomar as decisões e ter os pensamentos mais sábios em momentos de grande tensão emocional. Mas há coisas que não podemos mesmo fazer!

*Culpar-se da situação: Reconheça que há situações que simplesmente fogem ao nosso controlo, sem que existam necessariamente culpas a ser atribuídas. Afinal, é impossível controlar os sentimentos ou o comportamento das outras pessoas. Se fez ‘asneiras’, aprenda com elas e recorde-se que foram de ambas as partes porque, afinal, ninguém é perfeito.


*Pedir-lhe que volte: isto é mais comum nas 48 horas que precedem o momento da ruptura, por isso esteja atenta para não lhe telefonar ou enviar uma mensagem, por muito desesperada que esteja. Se sentir esse desejo, pense no lado menos positivo do seu companheiro e na dor que lhe causou. Até pode escrever num papel uma lista dos seus defeitos, para não se sentir tentada.

*Fechar-se em casa: passados os primeiros dias, é preciso ter consciência que a vontade de sair e estar com outras pessoas não vai voltar de forma natural. Tem de haver um esforço da sua parte, mas, mesmo que não lhe apeteça, arranje programas para as sextas e sábados à noite.

*Não ir trabalhar: o seu emprego obriga-a, antes de mais, a ter de sair da cama todos os dias de manhã, o que já é muito bom quando a sua vontade é ficar deitada com um monte de lenços de papel ao lado. Por outro lado, obriga-a a estar concentrada noutros assuntos além da sua separação.

*Não corra para outra relação: antes de assumir outro compromisso, dê tempo a si mesma para se curar.

Por outro lado, o que deve fazer…
*Aceitar que a dor é natural. Lembre-se que, segundo os especialistas, esta divide-se em três fases: a da negação ou do choque, em que tem dificuldade em acreditar que o que está a acontecer é real; a do medo, da raiva e da depressão e, por fim, o início da aceitação que a relação acabou e que vai ficar bem. Viver esses sentimentos é uma forma de não os guardar dentro de si e de se libertar mais rapidamente.

*


Não queira ficar amiga do seu ex: antes de mais, tem de tratar de si, refletir no que sucedeu e retirar lições que lhe sejam úteis no futuro. A questão do lugar que ele ocupará na sua vida futura deve ficar em segundo plano. Quando se recompor, a resposta chegará de forma natural.

*Comece a arrumar a casa decorridos alguns dias. Coloque as fotografias e outros objetos pessoais longe do seu olhar, inclusive a prenda que ele lhe deu no último Natal.

*Esteja com os seus pais e os seus amigos. Afinal de contas, eles amam-na incondicionalmente e é isso mesmo que precisa de sentir.

*Fale do assunto: é a melhor forma de ter outras perspectivas, mais objectivas, do que realmente sucedeu.

*Mantenha uma agenda relativamente ocupada, onde inclua coisas que lhe dêm prazer, seja ir ao cinema, ao ginásio, andar de bicicleta ou aprender danças de salão.

*Mime-se com massagens, chocolates, roupas ou idas ao cabeleireiro. Você está em primeiro lugar!

*Saia com outras pessoas. O que não significa que tenha necessariamente de ‘acontecer’ alguma coisa. Mas, antes de mais, é ótimo para o ego.

FONTEActiva Sapo
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS





COMENTÁRIOS




Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia