Ele perdeu o emprego na pandemia e foi vender Hot Dog: “Eu não tenho medo de recomeçar!”

ele-perdeu-o-emprego-na-pandemia-e-decidiu-abrir-uma-barraca-de-hot-dog-eu-nao-tenho-medo-de-recomecar

Ele perdeu o emprego na pandemia e decidiu abrir uma barraca de Hot Dog: “Eu não tenho medo de recomeçar!”

Ele usou o dinheiro que recebeu do acerto do antigo emprego e decidiu virar o próprio patrão.

Foi o que fez o jovem Cristian Samudio, do Paraguai. Contou todas as suas moedas, literalmente, e viu que com o valor que tinha, conseguia comprar uma barraquinha de cachorro quente, como essa saborosa iguaria era sempre aproveitada por ele nos seus intervalos de trabalho, ele pensou: Por que não fazer desse o meu novo ofício? Saiu às ruas sem medo de recomeçar.

Como tudo que se faz com amor e responsabilidade acaba dando certo, com o Cristian não foi diferente, seus clientes apreciam muito sua dedicação e atenção personalizada.

A história tem mostrado repetidamente que aqueles que têm sucesso e superam as adversidades são aqueles que tomam seu destino em suas próprias mãos. Isso não significa que estar em um ambiente adverso, ter que lidar com a pobreza ou regulamentações que o prejudicam não seja um fator determinante para o nosso fracasso, é sim, mas devemos lutar diante de tantos obstáculos e vencer as nossas próprias limitações. Se ficarmos em casa esperando por um milagre, muito provavelmente nunca acontecerá.

Foi o que aprendeu esse jovem de 24 anos de Assunção, no Paraguai.

Devido às quarentenas, ao fechamento forçado de empresas e à perda de recursos e oportunidades que isso implicou para muitas pessoas em todo o mundo, jovens como Cristián descobriram que os negócios que antes lhes davam um suporte econômico não eram assim tão seguros frente a uma pandemia.

Descobrir que, no meio de uma crise de saúde, a maneira como você consegue os recursos para se sustentar se esgota da noite para o dia está longe de ser uma notícia agradável. Mas não desistir por conta de um fracasso aparente o fez enxergar uma saída possível.

Mas Cristián tinha algo a seu favor: devido às leis trabalhistas, seu emprego o desligou por meio de um pagamento de indenização.

Percebendo que este pequeno capital era a única coisa que tinha a seu favor, Cristián decidiu recomeçar e investiu em uma nova carreira. Comprou um carrinho de HOT DOG.

Cristián percorre as ruas de sua cidade oferecendo deliciosos cachorros-quentes com diversas opções de ingredientes. Ou como são conhecidos entre os seus clientes, os requintados “cachorros-quentes do Cristián”.

“Chiquito é o meu carrinho, de manhã vendo no Município de Assunção e à tarde faço um trajeto de lá até a Plaza Santa Elena de Villa Aurelia”, disse Cristián Samudio para o Extra.py.

barraca-de-hot-dog
Extra.com.py

Ao criar seus cachorros-quentes, Cristián teve o cuidado de dar a eles um toque especial que lhe permitisse conquistar clientes fiéis. Seu segredo é garantir que cada parte do processo seja ideal:

“Com a experiência do meu trabalho na cozinha descobri alguns molhos secretos inovo nos meus cachorros-quentes” disse Cristián.

recemocar-com-hotdog
Extra.com.py

A história desse jovem pode inspirar o caminho de outros jovens como ele para que percebam que, enquanto as condições não melhorarem, a melhor opção estará em fazer o que dá para ser feito.

É um caminho difícil, mas é mais provável que alguém nos ajude se nos vir lutando do que se continuarmos esperando por ajuda sem nos mover. A barraquinha de Hot Dog foi a solução que esse jovem encontrou, mas cada um de nós podemos encontrar o nosso próprio caminho.

O momento não está fácil pra ninguém, mas se tivermos vontade de trabalhar, encontraremos algo que poderemos fazer para superar as dificuldades.

*DA REDAÇÃO RH. Com informações Extra.

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS






COMENTÁRIOS




Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia