Elas estão com tudo! Mulheres vão dirigir 4 grandes filmes de super-heróis em 2020

Resiliência Humana

2020 realmente faz história nas bilheterias para as cineastas! Elas estão com tudo! Mulheres vão dirigir 4 grandes filmes de super-heróis no próximo ano!

Por Adam B. Vary

No final de 2016, em antecipação à estréia de “Rogue One: A Star Wars Story”, a chefe da Lucasfilm, Kathleen Kennedy, conversou com a Variety sobre os esforços da empresa para diversificar suas fileiras de diretores da mesma forma que a franquia havia escolhido as mulheres como protagonistas na tela.

“Queremos ter certeza de que, quando convidarmos uma diretora para fazer ‘Guerra nas Estrelas’, elas estarão preparadas para o sucesso”, disse Kennedy.

“São filmes gigantescos, e você não pode entrar neles com praticamente nenhuma experiência.”

Kennedy não estava exatamente errado: na época, havia um punhado de mulheres – Patty Jenkins, Ava DuVernay, Kathryn Bigelow, Lana e Lilly Wachowski, Mimi Leder – que haviam sido contratadas para dirigir grandes filmes de sustentação com orçamentos de grande sucesso.

Mas seu raciocínio fazia pouco sentido, dada a ladainha de diretores masculinos que receberam as chaves do reino de Hollywood depois de fazer alguns – ou apenas um, ou zero – filmes muito menores, geralmente independentes. (Uma pequena amostra: Christopher Nolan com “Batman Begins”, Joss Whedon com “Os Vingadores”, os irmãos Russo com “Capitão América: O Soldado Invernal”, Colin Trevorrow com “Jurassic World”, Gareth Edwards com “Godzilla”, Andy Muschietti com “It”, Tim Miller com “Deadpool”, Jordan Vogt-Roberts com “Kong: Skull Island”, Taika Waititi com “Thor: Ragnarok” – você entendeu.)

De qualquer forma, Kennedy abriu a discussão para a entrada das mulheres no comando das maiores e mais lucrativas propriedades de Hollywood pelo bem de toda a história do cinema.

Em 2020, isso vai mudar de uma maneira sem precedentes.

Cinco dos maiores títulos lançados no próximo ano – incluindo os quatro principais filmes de super-heróis – serão dirigidos por mulheres: “Birds of Prey”, de Cathy Yan, em 7 de fevereiro; “Mulan”, de Niki Caro, em 27 de março; “Viúva Negra”, de Cate Shortland, em 1º de maio; “Wonder Woman 1984”, de Patty Jenkins, em 5 de junho; e “Os Eternos”, de Chloé Zhao, em 6 de novembro.

É difícil exagerar o quão importante isso pode ser. Este ano, foram as principais notícias em outubro, quando Stacy L. Smith, da Annenberg Inclusion Initiative da USC, disse à Variety que até 14 dos 100 filmes com maior bilheteria em 2019 seriam dirigidos por mulheres.

Até o momento, esses filmes (que atualmente representam o número 15) respondem por aproximadamente US $ 1,23 bilhão em receita doméstica e US $ 2,79 bilhões em fatura global no ano.

Porém, apenas dois desses 15 – “Capitão Marvel” e “Frozen 2”, ambos co-dirigidos por mulheres – são verdadeiros blockbusters globais.

Em 2020, apenas esses cinco pólos acima mencionados poderiam facilmente diminuir o número de 2019, especialmente em todo o mundo.

Mesmo que um ou dois desses filmes tenham um desempenho abaixo do esperado, coletivamente, essas cinco cineastas devem explodir a sabedoria convencional calcificada que impediu as carreiras de inúmeras mulheres em Hollywood por gerações.

Em termos gerais, nada muda em Hollywood! Poderíamos pela primeira vez estar em busca de paridade (entre os 10 filmes de maior bilheteria do ano) entre diretores masculinos e femininos.

É o tipo de mudança que é impossível ignorar e poderia – deveria! – têm efeitos negativos em toda a indústria, desde uma maior oportunidade para mulheres em posições acima e abaixo da linha, até um melhor reconhecimento das cineastas durante a temporada de premiação.

Certamente, o crédito é devido à Disney e à Warner Bros por intensificarem e entregarem essas franquias de joias da coroa para as mulheres. Também vale a pena notar que todos, exceto um desses cinco filmes, são protagonistas mulheres – e ” Eternos ” apresenta várias personagens femininas interpretadas por Angelina Jolie, Salma Hayek e Gemma Chan.

Enquanto isso, a Sony Pictures está lançando dois filmes baseados em vilões do Homem-Aranha em 2020, dirigidos por homens: “Morbius”, de Daniel Espinosa, em 31 de julho, e “Venom 2”, de Andy Serkis, em 2 de outubro.

2020 realmente faz história nas bilheterias para as cineastas, talvez pudéssemos ver o próximo lote de spin-offs de Spidey da Sony – e “Velozes e Furiosos”, “Vingadores” e, sim, até filmes de “Guerra nas Estrelas” – dirigidos também por mulheres.

*Tradução e adaptação REDAÇÃO RH
*Fonte: Ny Post
*IMAGEM: Gal Gadot em “Mulher Maravilha 1984; Scarlett Johansson em “Viúva Negra”/ DIVULGAÇÃO

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS






COMENTÁRIOS




Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia