Egoísmo: o comportamento que adoece o mundo

Alessandra Piassarollo

Os sinônimos não deixam dúvidas de que o egoísmo é um mal grave e indesejado. Explorando seu significado temos uma definição sombria: estamos falando de um substantivo masculino que versa sobre um amor exagerado ao que é do interesse de alguém e sobre orgulho, levando uma pessoa a se sentir mais importante que tudo e acima de todos.

Nesses tempos em que nossos comportamentos estão cada vez mais expostos e tudo o que pensamos, decidimos e fazemos acaba se tornando do conhecimento de muita gente, cada vez mais se percebem os comportamentos egoístas, e por isso mesmo, eles nos incomodam cada vez mais.

A sensação que temos é que o egoísmo tem saído dos nossos armários. Mas as palavras de motivação que temos visto transbordar nas redes sociais, de que é preciso cuidar da própria vida, de que o amor próprio deve vir antes de tudo e de que seguir nossos interesses é fundamental para uma vida bem vivida, em nada justifica a explosão de egoísmo que temos visto.

E a explicação é simples e justa: viver de forma egoísta, e se sentir o centro das atenções em nada tem a ver com viver bem. Pelo contrário, é um péssimo estilo de vida. Tem muita gente precisando aprender a diferenciar esses conceitos.

Ao mais, a identificação desse tipo de comportamento é fácil: basta observar se o comportamento de uma pessoa está baseado no que ela pensa dela mesma, no que ela quer e no pouco caso que ela faz quanto o assunto é agradar outras pessoas. Se a pessoa não se preocupa em interagir com as outras de forma agradável, se ela nunca é capaz de ceder e acha que sua razão é absoluta, se ela é capaz de discorrer durante horas sobre si e sua vida perfeita, saiba: a pessoa só pensa nela mesma. E isso não é apenas uma autoestima elevada. É egoísmo puro, altamente concentrado.

É claro que, tendo em vista que a intolerância às diferenças é uma crescente, temos vivido em constante campanha de paz, para minimizar os estragos. Mas é preciso considerar que, embora isso seja muito válido e necessário, não há mal nenhum em avisar aos egoísta que o mundo não gira em torno deles.

Alguns nem percebem que estão se comportando de maneira inconveniente ou desagradável. Algumas pessoas foram educadas assim, criadas para que o mundo atendesse aos seus interesses, uma realidade lamentável.

Não estamos falando de abrir guerra contra quem se comportou de forma egoísta conosco. Mas de tentar esclarecer, mostrar que não é um comportamento socialmente aceitável. Não se trata de pagar na mesma moeda também. Isso seria severamente repreensível. Trata-se de demonstrar, argumentar e ensinar, adotando um comportamento oposto.

O egoísmo tem adoecido o mundo porque, ao mesmo tempo em que estamos todos conectados, nosso comportamento cada vez mais egoísta repele as outras pessoas. Falamos com o mundo, mas vivemos como se fôssemos ilhas, isolados dentro desses nossos comportamentos nocivos. E isso em nada representa progresso. Trata-se de um mal social, infelizmente. E como tal, precisa ser combatido. O melhor remédio é o amor ao próximo, com doses diárias e abundantes, por tempo indeterminado.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS





COMENTÁRIOS




Alessandra Piassarollo
Administradora por profissão, decidiu administrar a própria casa e o cuidado com suas duas filhas, frutos de um casamento feliz. Observadora do comportamento alheio, usa a escrita como forma de expressar as interpretações que faz do mundo à sua volta. Mantém acessa a esperança nas pessoas e em dias melhores, sempre!