Efeito grave pós-covid vem preocupando especialistas: A dificuldade cognitiva.

Muitas pessoas que contraíram a Covid-19 vem apresentando dificuldades cognitivas para realizar tarefas básicas que, antes da doença conseguiam fazer facilmente, mas que agora, não dão mais conta de realizar.

Essa dificuldade está sendo chamada de névoa cerebral: que torna o básico mais difícil.

A névoa cerebral está sendo observada como uma consequência preocupante pós-covid.

Ela é um distúrbio da função cognitiva que torna a realização de tarefas básicas, muito mais difíceis.

Pessoas estão relatando não conseguir entender, interpretar o básico e notam que perderam grande parte da sua capacidade intelectual.

É como se a pessoa não entendesse coisas basicas que, antes, eram facilmente compreendidas.

A névoa cerebral não está diretamente ligada à ansiedade ou depressão, como neurocientista percebo que, as razões são ocultas mas que os mesmos efeitos são notados também em pacientes com HIV, epiléticos após convulsões, pacientes com câncer/cancro que experimentam a quimioterapia cerebral, pessoas com fibromialgia e algumas outras doenças crônicas.

A névoa cerebral parte do critério diagnóstico da Encefalomielite Miálgica/Síndrome da Fadiga Crônica (ME/CFS). Uma das razões da sua ocorrência está no região frontal do cérebro, parte relacionada ao foco atencional, comprometida, segundo estudos, assim como na recuperação da memória, mas também em todo o circuito que participa do processo cognitivo.

A névoa é, também, um tipo de inflamação que ocorre no líquido cefalorraquidiano.

Pessoas com Covid que apresentaram maiores sequelas cerebrais apresentaram inflamação e também grandes níveis de citocinas no líquido que envolve o cérebro e a medula espinhal, que faz relações entre o sistema imunológico e o sistema nervoso.

O líquido cefalorraquidiano (LCR) atua como um amortecedor para o córtex cerebral e a medula espinhal, outra função é fornecer nutrientes para o tecido nervoso e remover resíduos metabólicos. Há também a participação dos astrócitos, células da glia que trabalham como suporte neuronal e estão relacionadas aos processos de memória.

Ao ser infectado pelo vírus da Covid-19, ele danifica a barreira hematoencefálica, modificando a sua permeabilidade.

Ao parasitar o nervo olfativo, o caminho percorrido pelo vírus termina no cérebro afetando o tecido cerebral invadindo as células.

Sintomas da névoa cerebral:

– Redução na velocidade de raciocínio, aprendizagem e resolução de problemas;

– Dificuldade de concentração e para finalizar uma tarefa;

– Lapsos de memória recente (como não lembrar onde deixou o carro, datas, senhas…).

Tratamento para pacientes neste caso incluem:

– Terapias para tratar os sintomas;

– Técnicas para ajudar os pacientes a lidar;

– Estratégias para gerenciar as atividades diárias;

A maioria das pessoas com névoa cerebral não é tão severamente afetada e melhora gradualmente com o tempo. Alguns casos, demoram e outros podem não se recuperar 100%.

Você já teve covid? Sentiu esses sintomas? Conhece alguém que sente que suas capacidades intelectuais se deterioraram após terem contato com o vírus?

Conte aqui a sua experiência pessoal.

*DA REDAÇÃO RH. Foto de Heike Trautmann no Unsplash.

Texto de Fabiano de Abreu Rodrigues, PhD, neurocientista, neuropsicólogo, biólogo, historiador, jornalista, psicanalista com pós em antropologia e formação avançada em nutrição clínica. PhD e Mestre em Ciências da Saúde nas áreas de Psicologia e Neurociências pela EBWU na Flórida e tem o título reconhecido pela Universidade Nova de Lisboa; Mestre em Psicanálise pelo Instituto e Faculdade Gaio/Unesco; Pós Graduação em Neuropsicologia pela Cognos em Portugal; Pós Graduação em Neurociência, Neurociência aplicada à aprendizagem, Neurociência em comportamento, neurolinguística e Antropologia pela Faveni do Brasil; Especializações avançadas em Nutrição Clínica pela TrainingHouse em Portugal, The electrical Properties of the Neuron, Neurons and Networks, neuroscience em Harvard nos Estados Unidos; bacharel em Neurociência e Psicologia na EBWU na Flórida e Licenciado em Biologia e também em História pela Faveni do Brasil; Especializações em Inteligência Artificial na IBM e programação em Python na USP; MBA em psicologia positiva na PUC. Membro da SPN – Sociedade Portuguesa de Neurociências – 814; Membro da SBNEC – Sociedade Brasileira de Neurociências e Comportamento – 6028488; Membro da FENS – Federation of European Neuroscience Societies – PT 30079; Contato: [email protected]

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

RECOMENDAMOS









Fabiano de Abreu Rodrigues é psicanalista clínico, jornalista, empresário, escritor, filósofo, poeta e personal branding luso-brasileiro. Proprietário da agência de comunicação e mídia social MF Press Global, é também um correspondente e colaborador de várias revistas, sites de notícias e jornais de grande repercussão nacional e internacional. Atualmente detém o prêmio do jornalista que mais criou personagens na história da imprensa brasileira e internacional, reconhecido por grandes nomes do jornalismo em diversos países. Como filósofo criou um novo conceito que chamou de poemas-filosóficos para escolas do governo de Minas Gerais no Brasil. Lançou o livro ‘Viver Pode Não Ser Tão Ruim’ no Brasil, Angola, Espanha e Portugal.