Quando você supera o fim de uma relação e decide seguir em frente, você está dizendo a si mesmo: “Eu me amo mais”.

Esse texto é pra você que ´já foi rejeitado(a), ou que, anda aceitando migalhas de afeto porque não quer encarar a verdade, fica tentado salvar o que já se perdeu faz tempo, cria desculpas, justifica as atitudes erradas do outro e, constantemente, tem recaídas…

Esse texto é pra você que anda se enganado, querendo acreditar em uma relação que já te provou que não tem futuro.

É pra você que está carente, que deseja um amor para chamar de seu, mas só colhe desamor, ingratidão e infidelidade.

É pra você que coleciona crenças negativas quando o assunto é relacionamento amoroso. Que acredita, inconscientemente, que nunca mais vai ser feliz no amor. Que cai em ciladas e, repetidas vezes, em conversas fiadas… que decide se relacionar com pessoas indisponíveis, acreditando que o outro vai mudar.

É pra você que presenciou violência, desrespeito, traição, abandono, rejeição, entre outras perdas, aparentemente, irreparáveis, em seu ceio familiar.

É pra você que está sofrendo, sem saber por quê, as pessoas agem com tanta indiferença com você.

É pra você que está cansado (a) de quebrar a cara!

É pra você que segue acreditando no ditado “Água mole em pedra dura tanto bate até que fura”.

Que pensa que persistir no erro conhecido é melhor do que se abrir para novas possibilidades.

É pra você que tem medo do desconhecido e fica suportando a dor porque não quer sair da zona de conforto.

Pare um minuto e seja honesto (a) com você. Existem aí duas possibilidades:

Quando você vê que essa relação faz sentido pra você, que não é uma ilusão qualquer ou uma dependência emocional, que vale a pena insistir, então, faça como a água, vá com cuidado moldando a pedra.

Porém, quando você já entendeu (MAS NÃO QUER ACEITAR) que você não tem milhares de anos para VIVER, é preciso escolher moldar a si mesmo.

A dor está te dizendo para seguir em frente e você está resistindo. Escolha priorizar a sua vida. Se coloque em primeiro lugar e diga a si mesmo: Eu me amo mais!”.

É tão bom quando a gente supera o fim e segue em frente!

Se você se identificou com qualquer das situações a cima, você precisa procurar ajuda profissional para seguir em frente. Só não busca quem quer continuar sofrendo. Me chame no direct @rhamuche e agende uma consulta idividual.

*DA REDAÇÃO RH. Texto de Robson Hamuche, idealizador do Resiliência Humana, terapeuta transpessoal e Constelador Familiar.

Foto de Ivan Akimenko no Unsplash

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

RECOMENDAMOS









Robson Hamuche é Terapeuta transpessoal com especialização em constelação familiar, compõe a equipe de terapeutas do Instituto Tadashi Kadomoto (ITK). É também idealizador e sócio-proprietário do Resiliência Humana, grupo de mídia dedicado ao desenvolvimento humano, que reúne informação de qualidade acerca de todo o universo do desenvolvimento pessoal, usando uma linguagem leve e acessível.