É melhor viver feliz sozinho e amar a própria companhia do que ficar esperando reciprocidade.

Quem vive para agradar os outros, apenas sobrevive e coleciona feridas que permanecem abertas, indefinidamente.

Se você não se coloca como prioridade, você vira um imã para as decepções, se maltrata e se torna escravo da opnião alheia. Não seja essa pessoa!

Para se sentir feliz de verdade você vai ter que aprender a se agradar com mais frequência. Você vai ter que descobrir o que você ama fazer, o que te traz satisfação e bem-estar, sem precisar buscar nos outros essa satisfação.

Se você acha que as pessoas fingem se importar com você, provavelmente, você está agindo igual, em relação a si mesmo.

Você deve estar fingindo se amar, fingindo se importar com o que realmente é importante para você. Talvez, você ainda nem saiba o que realmente importa pra você.

É provável que, você esteja totalmente desconectado da sua essência, e deconectado, você passa a desrespeitar os valores essenciais, a ponto de nem estar consciente de quais são.

Se você deseja ser amado (a), antes, você precisa se amar. Porque para se sentir feliz com você mesmo, você precisa ser inteiro e não apenas uma parte.

Você tem que aprender a integrar todas as suas partes, as que você julga serem sombrias e, também, aquelas que você já consegue se orgulhar.

Se você quer que as pessoas te aceitem exatamente como você é, você precisa se aceitar primeiro. Se você não se aceitar, infelizmente, você sempre se sentirá inseguro em relação aos outros. Você pensará que não é o suficiente, justamente porque você não está validando todas as suas partes.

Você precisa se doar mais para você do que para os outros e isso, não é egoísmo, é amor-próprio, é se bastar e atender as suas reais necessidades.

Se você já consegue perceber que as trocas nas suas relações parecem não ser justas, saia do papel de vítima e comece a impor limites claros nessas relações. Não cobre nada dos outros, nem exija que eles façam a você o que você faz por eles, simplesmente, pare de fazer o que você vem fazendo, isso já será um bom sinal de que você está se escolhendo como prioridade.

Diga como você se sente, mas não se humilhe pedindo reciprocidade. Apenas exponha os fatos, deixe tudo bem claro e siga a sua vida livre desses pesos e das expectativas que você cria em relação aos outros.

Se aceite, se valorize, se dê o respeito! Entenda que você precisa aprender a gostar de ficar sozinho e pare de esperar reciprocidade de quem não está disposto a te amar.

Desapegue dessa necessidade de receber dos outros o que eles não estão prontos para te oferecer. Contrua com você a relação que você quer ter com os outros. Seja pra você mesmo o seu melhor amigo, o seu amante, o seu parceiro de vida. Assim que você decidir escolher a si mesmo, você vai se sentir amado(a) como ninguém jamais conseguirá te amar.

Aprenda que, muitas vezes, é melhor viver sozinho e amar a sua própria companhia, do que ficar esperando reciprocidade.

*DA REDAÇÃO RH. Texto de Robson Hamuche, idealizador do Resiliência Humana, terapeuta transpessoal e Constelador Familiar.

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

RECOMENDAMOS









Robson Hamuche é Terapeuta transpessoal com especialização em constelação familiar, compõe a equipe de terapeutas do Instituto Tadashi Kadomoto (ITK). É também idealizador e sócio-proprietário do Resiliência Humana, grupo de mídia dedicado ao desenvolvimento humano, que reúne informação de qualidade acerca de todo o universo do desenvolvimento pessoal, usando uma linguagem leve e acessível.