Por que pessoas falsas são amadas, enquanto pessoas verdadeiras são julgadas?

Pessoas falsas são aquelas que oferecem migalhas e vivem relações superficiais e, pelas suas costas, espalham fofocas sobre você e, sentem inveja de suas realizações e sucessos.

O neurocientista social John Cacioppo diz que os seres humanos evoluíram para evitar inimigos em vez de fazer amigos. Talvez, por isso, tanta gente bate palma para pessoas falsas enquanto desvalorizam e ignoram as verdadeiras.

Seja no trabalho ou em um grupo social, todos nós temos que lidar com amigos falsos em algum momento de nossas vidas.

Um falso amigo é alguém que revala falsa simpatia, ou vive fingindo ser alguém que não é, se passa por amigo fiel, mas basta uma oportunidade para te apunhalar pelas costas.

A grande diferença entre um amigo falso e um inimigo é que do inimigo nós sabemos o que esperar, enquanto do amigo falso, os golpes são sempre aleatórios e baixos.

Pessoas falsas são aquelas que drenam a sua energia. Você não se sente confortável, nem emocionalmente seguro perto delas, porém, sem conseguir explicar os motivos que te levam a continuar perto dessas pessoas, você acaba abrindo a guarda mais do que deve e, agradando essas pessoas, mais do que elas merecem.

Por outro lado, se uma pessoa é verdadeira com você e te diz coisas duras de ouvir, você a julga, a condena e escolhe se afastar. Enquanto àqueles que vivem passando a mão na sua cabeça na sua frente e falando mal de você pelas costas, você oferece até as chaves da sua casa.

Pessoas falsas vão sempre te ignorar quando você mais precisar delas, enquanto aquelas que você julga, por serem verdadeiras e te mostrarem a realidade nua e crua, nunca “arredam o pé” do seu lado até que você esteja livre de problemas. Não é assim?

É FO#A ver pessoas falsas sendo valorizadas, exaltadas e amadas, enquanto nós, que somos verdadeiros e, sempre oferecemos nosso apoio, que estivemos do seu lado quando mais precisaram, somos subjugados, largados de lado, como se nada fôssemos.

O fato é que, ver tanta incoerência nas relações nos faz pensar se devemos continuar valorizando essas pessoas que dão mais valor a quem não presta do que a nós, que tanto as queremos bem.

Elas nunca nos procuram, mas estãos empre babando ovo dessas pessoas que não estão nem aí para elas, ou, que estão ali só porque possuem algum interesse.

Porém, não é preciso se martirizar quando isso acontece, porque isso acontece o tempo todo. Os verdadeiros não são valorizados e ponto. Mas a vida acaba ensinando através das decepções que essas pessoas sofrem. O duro é que nós, que realmente as amamos, não queremos que elas sofram, não e mesmo? Mas infelizmente, isso não é algo que possamos controlar.

As escolhas que elas fazem diz respeito a elas, nós é que precisamos olhar para o nosso comportamento e nos perguntar: Por que eu ainda vou atrás dessa pessoa?

A resposta a essa pergunta pode ser muito dolorosa, porque você pode chegar a conclusão de que as suas próprias escolhas estão equivocadas e, assim como ela, você também está buscando amor, aprovação e reconhecimento, nos lugares errados.

*DA REDAÇÃO RH. Texto de Robson Hamuche, idealizador do Resiliência Humana, terapeuta transpessoal e Constelador Familiar.

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

RECOMENDAMOS









Robson Hamuche é Terapeuta transpessoal com especialização em constelação familiar, compõe a equipe de terapeutas do Instituto Tadashi Kadomoto (ITK). É também idealizador e sócio-proprietário do Resiliência Humana, grupo de mídia dedicado ao desenvolvimento humano, que reúne informação de qualidade acerca de todo o universo do desenvolvimento pessoal, usando uma linguagem leve e acessível.