‘Doutor Sono’: um dos melhores filmes de suspense da atualidade

Resiliência Humana

Por: Mais Minas

Quando se trata de listar os melhores filmes de terror de todos os tempos, “O Iluminado” (“The Shining”) pode ser encontrado em quase todas as principais listas. Mas, como em qualquer obra-prima, também há vozes críticas. Para alguns, Stephen King, o rei do terror e do mistério, falhou na adaptação em “Doutor Sono” (“Doctor Sleep”), para outros, inclusive este que vos escreve, não.

Os fantasmas que torturaram o zelador Jack Torrance no best-seller de 1980, sobretudo na psique sobrecarregada de seu antagonista e no chão do copo de uísque, no isolado hotel Overlook, traumatizaram o pequeno Danny Torrance (Ewan McGregor).

Agora, já adulto, Dan, que teve que testemunhar o tumulto sangrento de seu pai alcoólatra quando criança e se vê adulto, tentando esquecer o passado com o mesmo vício do pai. Entretanto, ele tem um talento especial que o faz entrar telepaticamente em contato com as poucas pessoas afins. Ele tenta suprimir os gritos generalizados desse chamado “brilho” com seu consumo extremo de álcool.

A tentativa de um novo começo o leva a uma cidade pequena, onde Dan, agora sóbrio, consegue um emprego em uma casa de repouso. Lá, ele recebe o apelido de “Doutor Sono” colocado pelos moradores, porque ele leva do moribundo o medo da transferência para o outro lado (morte) e eles podem dormir suavemente.

Enquanto isso, ele mantém contato sobrenatural com a adolescente Abra (Kyliegh Curran), que teve que examinar através de suas forças sobrenaturais o assassinato bestial de um garoto Bradley Trevor (Jacob Tremblay). Abra pede ajuda a Dan, porque aparentemente uma seita misteriosa chamada True Knot, sob a liderança da cruel Rose the Hat (Rebecca Ferguson), persegue os portadores do brilho, pois a absorção da energia especial lhes dá uma vida quase eterna.

Com duas horas e meia de duração, o diretor Mike Flanagan leva os espectadores a uma perigosa jornada, durante a qual as luzes brilhantes ameaçam ser engolidas pela escuridão que se espalha. Ao contrário de muitas produções atuais, ele não tenta fazer justiça ao gênero usando choques superficiais. O diretor e roteirista mescla um thriller de perseguição motora com a busca emocional de uma alma dolorida pela salvação.

Nos ombros do ator principal está o fardo de transportar o prodígio do clássico de Kubrick com credibilidade para um adulto quebrado, cujo passado nunca o deixou descansar. Portanto, o filme leva tempo suficiente no começo para formar um herói, em última análise, simpático, apesar das arestas. Como o coração e o motor da trama, ele recebe Abra, que lembra Dan no curso de sua própria vida.

Mas o verdadeiro destaque teatral é a Rebecca Ferguson como a misteriosa Rose the Hat, ela dá a uma vilã sensual por muito tempo, até que uma cena muito chocante como um assassino sádico e de sangue frio arde em sua memória. Ao mesmo tempo, líder e sedutora, com a sua mão direita Crow Daddy (Zahn McClarnon), ela também orienta talentos perdidos no caminho errado para explorar seus diferentes talentos nos ataques sangrentos. Durante um confronto com Rose the Hat, fica claro que Dan, por causa de sua fraqueza, poderia ter sido uma vítima fácil dos seguidores.

Para referências audiovisuais ao filme de Stanley Kubrick, “Doutor Sono” é uma obra totalmente independente que, com sua base emocional, retorna aos escritos de King, mas também é um verdadeiro deleite para os amantes de suspense. Como um defeito mínimo no thriller assustador fabulosamente atmosférico pode talvez fazer um primeiro confronto um tanto apressado, mas não importa mais. Com um design de som assustador, que geralmente consiste apenas de um barulho de vento gelado ou de um batimento cardíaco trêmulo, o diretor também vê.

Particularmente impressionante é o primeiro encontro de Rose the Hat e Abra em uma superfície.

Com seu tempo de execução épico, “Doutor Sono” é uma sinfonia longa de suspense, mas nunca entediante, cujo final leva a um epílogo conciliatório – e culmina em uma das melhores adaptações de Stephe King.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia