Desistir da vida é a melhor solução?

Luciano Cazz

Chega um momento em que bate uma angústia sem fim sobre a vida. E, então, aquela sensação no peito fica tão insuportável que a gente chega a pensar em deixar de viver. Mas você sabe o que acontece com quem tira a própria vida?

No Brasil, por dia, 30 pessoas tiram a própria vida. A grande maioria, de quase 80%, são de homens, mas, em relação a tentativas, as mulheres detêm 70% das estatísticas. Se a cada hora, pelo menos uma pessoa tira a própria vida, imagine quantas pessoas na sua rede social podem estar pensando em deixar esse mundo nesse exato momento.
A seguir, 10 pontos que provam que desistir da vida é um péssimo negócio….

10- As dores emocionais não passam…

Acreditar que acabando com a própria vida uma pessoa finda com todas as suas angústias emocionais, é um equívoco. Apenas o corpo é capaz de ter a vida cessada. A nossa alma é imortal, por isso, acontece exatamente contrário, ao invés de acabarmos com nossa dor, a gente pode torná-la eterna e muito mais pesada no plano espiritual.


9- É um ato cego…
A depressão cega as pessoas para a esperança, para suas próprias capacidades e para as soluções dos seus problemas. Acreditamos que não temos importância, nem o amor das pessoas, mas isso é uma visão distorcida da nossa mente deprimida. Ficamos emocionalmente cegos. Nem egoístas, nem covardes, mas totalmente fora de si.

8- O destino de quem tira a própria vida é duro…
Existe um local no plano espiritual chamado vale dos suicidas. Um lugar escuro e lamacento para onde as almas são sugadas por uma força que lhes causa uma terrível sensação de desespero, angústia e dores horríveis como se brasas entrassem no peito. Além do mau cheiro insuportável e muitos gritos de pânico. Nenhuma dor da vida chega perto do que se sente naquele lugar.

7- É um atentado à criação da vida…

Tirar a própria vida é considerado, pelo Universo, um ato contra o Criador. É uma dívida espiritual que pode levar outras várias vidas para resgatar. Além das consequências do ato em si, ainda carregaremos o fardo da escolha equivocada por quase a eternidade. Por isso, quando não houver mais esperança e sua vida estiver pacata, não peça a Deus para morrer, pelo contrário, peça para viver bem!

6- É uma derrota em outra dimensão…

Uma pessoa pode perder o emprego, um amor ou uma oportunidade. São perdas importantes, mas nem tão dimensionadas porque se limitam a esse ínfimo mundo da matéria em que vivemos, porém, cessar a própria vida é uma derrota em um plano muito superior, porque é a derrocada da alma que interfere no trabalho do plano espiritual e pode comprometer nossas vidas futuras.


5- É ferida no coração de quem lhe ama…
As pessoas que atentam contra a própria vida não têm ideia do quanto são amadas. E, para quem os estima, é uma facada no coração. Pode ser a dor da rejeição ou de abandono ao desamparar quem contava conosco. Ou um tapa na cara de quem não nos dava o valor que a gente acreditava que merecia. Mas ficar satisfeito em causar remorso com a própria partida, é um ato hediondo de desespero.

4- Sua alma pode entrar em um ciclo vicioso…
A dor existe exatamente para que a gente aprenda a superá-la. Se seguimos por outro caminho, o universo nos trará de volta a esse plano material para mais uma vez vivenciar tudo e, talvez, de uma maneira pior até aprendermos o que o sofrimento tem para lhe ensinar. E, assim, repetidamente. Não há outra alternativa senão enfrentar a vontade de ir embora desse mundo e tirar o aprendizado que a situação vai lhe trazer.

3- É possível sair dessa situação vivo…

Existem milhares de variáveis desconhecidas e possíveis. Uma delas pode mudar sua vida para melhor amanhã, sem que você sequer tivesse imaginado. A dor pode ser forte, mas ela sempre passa. É como aquela série de ondas grandes que nos surpreende no nosso mar da vida, elas dão a impressão que vão nos levar para sempre, mas é só manter a calma nos caldos que vamos tomar que sairemos vivos. Arranhados, feridos, exaustos, mas ainda com uma linda praia ao nosso dispor.

2- É possível desapegar…
Podemos deixar ir o que nos faz querer desistir. Uma pessoa que nos deixou, uma chance desperdiçada, uma fortuna perdida ou uma traição jamais serão maiores do que nossa própria vida. Tudo tem sua razão e seu curso. Sempre haverá tempo para novas experiências, para novas pessoas e empregos. Mas se desistirmos, daremos fim às futuras lindas oportunidades que a vida nos reservava para sermos feliz

1- Existe outra maneira de se comunicar…
Ninguém precisa tirar a própria vida para dizer que sofre. Muitas vezes, nossos problemas são tri dimensionados pela nossa vaidade ou um sentimento de solidão. Por isso é importante conversar. É a chance de entendermos as nossas frustrações são muito maiores dentro da nossa cabeça do que no mundo. Falar sobre desistir da vida com a pessoa certa também pode ajudar. Então, para que comunicar com a morte aquilo que queremos comunicar com a vida?
Porque desistir da vida se no final vamos partir de qualquer jeito? Não é mesmo?

E quando nada mais fizer sentido nessa vida, só nos resta resiliência. Aguentar a angústia passa a ser nossa única missão para evoluir nossa alma e galgar um lugar especial no céu. Ao entrarmos nesse estado de total resiliência, temos como vantagem o fato de que qualquer coisa boa que vier é lucro. Nada mais precisa ser perfeito. Apenas relaxar e viver um dia de cada vez sem o peso da obrigação de dar certo. E, então, a vida, em sua simplicidade, poderá nos surpreender e se tornar imperfeitamente maravilhosa…

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Luciano Cazz
"Luciano Cazz é publicitário, ator, roteirista e autor do livro A Tempestade depois do Arco-íris."

COMENTÁRIOS