Descobri o meu equilíbrio aceitando a minha intensidade

Guilherme Moreira Junior

Tenho essa mania pelo intenso. Não disfarço ou escondo a minha sede pelas intensidades da vida. É como vivo, é como descobri e aceitei quem sou.

A minha intensidade não me atrasa ou me impede de ver as coisas como elas realmente são. A minha intensidade é o meu equilíbrio e estou morando em paz comigo desde então.

Não tenho mais medo dos meus pensamentos. Não abandono mais os meus sonhos. A busca pela intensidade me ensinou o preço de valorizar todos os pontos que marquei pelo caminho.

Sou livre e permanecerei livre enquanto não negar as minhas emoções, sejam elas uma fonte para risos ou lágrimas.

É motivo de orgulho e de reciprocidade poder estar em sintonia com o meu corpo, com a minha alma. Os problemas do mundo continuam me incomodando, é verdade. Continuo querendo ajudar a cultivar bons frutos para o futuro, mas agora entendo a importância de não deixar os discursos negativos dos outros me diminuírem.

A minha intensidade muda de trajetória, mas não desiste de ser parte de um sentimento maior. Quando é amor, é sim o maior amor do mundo. Para tudo. Para todos.

Gosto de perder tempo com alegrias. Fascina-me passar horas de completas felicidades ou de aproveitar um delicioso tédio. Depende do dia, do humor, do olhar que lanço na ocasião.

É assim que o meu equilíbrio funciona: metade de mim é intensidade e a outra metade também. Ou seja, a cada dose, a cada parte de mim, é intensidade que se vê e recebe-se.
Planto o meu melhor, apenas isso.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS







COMENTÁRIOS




Guilherme Moreira Junior
"cidadão do mundo com raízes no rio de janeiro"