Depressão infantil: crianças que carregam as frustrações dos pais

Enfrenta momento de frustração, diante da falta de realização, provocando um estado de humor deprimido, mas não permanente. Com oscilações pela vontade e a crença em si mesmo.

A depressão infantil (DI) é um transtorno do humor caracterizado pela tristeza e pela incapacidade de sentir prazer. Ela pode estar associada a outros transtornos ou a fatores como a relação da criança com os demais.

Muitas vezes, a criança acaba carregando as frustrações dos pais, que idealizavam como ela deveria agir, se vestir, pensar e até mesmo do que gostar.

A criança, numa tentativa de agradar os pais, se entristece por não se reconhecer nestas projeções e não validar a sua singularidade.

A melhor maneira de prevenir o desenvolvimento da depressão infantil é estar atento aos sinais que a criança demonstra, bem como dar espaço para o seu desenvolvimento e acompanhar, junto dos educadores, o seu processo escolar.

Para evitar a depressão na infância e fortalecer essa criança para que não enfrente o transtorno mais tarde, é importante ajudá-la a desenvolver habilidades socioemocionais. Assim, conseguirão lidar melhor com emoções e situações de estresse que possam desencadear a depressão no futuro

Os principais sintomas de depressão infantil são:

– Aparência triste;

– Irritabilidade ou agressividade frequente;

-Sensação de vazio, culpa ou inferioridade;

– Falta de disposição ou vontade de brincar;

– Dor de cabeça frequente;

– Mudança rápida de humor ou choro fácil;

– Excesso de birras ou pirraça;

– Dor no abdome frequente;

– Perda ou aumento excessivo do apetite;

– Perda ou ganho de peso;

– Dificuldade para dormir à noite ou excesso de sono durante o dia;

– Desatenção;

– Queda do rendimento na escola;

– Medo de separar-se do pai ou da mãe;

– Perda de vontade de ver os amigos;

– Voltar a urinar na cama;

Conclusão:

A criança está construindo as bases, o alicerce do inconsciente.

É de suma importância usar a força da fé, em si, em seus entes queridos, nos amigos e na vida, para manter o foco e alimentar a motivação – motivo para ação positiva na vida.

O pensamento é uma forma poderosa de energia que dirigi as atividades do corpo humano, toda ideia fortemente mantida na mente por meio de um pensamento prolongado e concentrado, assume forma permanente e contínua e afeta as atividades corporais de acordo com sua natureza, consciente e inconsciente.

Portanto o pensamento, é o alicerce de toda atividade e realização humana. A mente manda e o corpo obedece. O invisível constrói o visível.

O cérebro é literalmente um ímã, que acaba por atrair pessoas que se harmonizam em pensamentos e ideias com aqueles pensamentos que dominam nossa mente.

Nossa identificação é construída por pensamentos fortemente arraigados em nossa mente.

Construir vínculos, saudáveis, de confiança e plantar no terreno da mente fértil infantil (que é virgem e neutra de qualquer manifestação deletéria), as melhores sementes:

– Autoconfiança;

– Segurança;

– Valor;

– Disciplina;

– Rotina;

– Ética;

Tarefas para os pais:

– Não cobrar tanto;

– Variar entre elogios e argumentações para uma melhoria;

– Ter um diálogo argumentativo sempre, sem menosprezar pelas não conquistas, mas sim, explicar a importância e promover maneiras para alcançar melhores resultados;

– Entender a individualidade da criança, suas habilidades, trabalhar em cima de elogiar o que a criança faz bem, e explicar de forma argumentativa e com exemplos o que pode e tem que ser melhorado;

– Disciplina criativa;

– Ter regras e fazer com que as cumpra;

– Amor, mas com limites, saber dizer não;

– Tarefas que possa explorar a criatividade;

– Trabalhar com a repetição para reforço;

– Traçar metas que tenha recompensa pelas conquistas;

– Dar mais atenção e participar mais da vida da criança;

– Promover tarefas que promovam um melhor bem estar;

– Trabalhar em cima das dificuldades com tarefas que ajudem a enfrentar essas dificuldades;

– Traçar rotinas que sejam capazes de promover a neuroplasticidade, assim como uma melhor performance;

Recomendações à Escola

– Usar formas criativa de mediar conhecimento;

– Investir em atividades físicas;

– Compreender que o aluno em questão é um atleta e mediar frente a campeonatos e treinos, possibilidade de transferência de datas de provas e entrega de trabalhos.

Orientações à Família:

– Promover estabilidade emocional, segurança e afeto na dinâmica familiares;

– Explicar o ciclo da vida, mantendo a criança com informações que a tranquilizem;

– Manter vínculos afetivos saudáveis;

– Estabelecer entre amor e autoridade, com equilíbrio;

– Não cobrar tanto;

– Variar entre elogios e argumentações para uma melhoria;

Ter um diálogo argumentativo sempre, sem menosprezar pelas não conquistas, mas sim, explicar a importância e promover maneiras para alcançar melhores resultados; e ntender a individualidade da criança, suas habilidades, trabalhar com elogios, e explicar de forma argumentativa e com exemplos o que pode e tem que ser melhorado é a melhor forma de lidar com crianças depressivas.

Você tambem pode estabelecer um modelo de Disciplina criativa

– Ter regras e fazer com que as cumpra;

– Tarefas que possa explorar a criatividade;

– Trabalhar com a repetição para reforço;

– Traçar metas que tenha recompensa pelas conquistas;

– Dar mais atenção e participar mais da vida da criança;

– Promover tarefas que promovam um melhor bem estar;

Trabalhar em cima das dificuldades que ela apresenta, oferecendo pequenas tarefas que ajudem a enfrentar essas dificuldades pode fazer o difícil se tornar divertido.

Traçar essas rotinas de forma leve será capaz de promover a neuroplasticidade no cérebro da criança, assim ela conseguirá atingir um outro nível de desempenho e alcançar uma melhor performance.

*DA REDAÇÃO RH. Texto de Fabiano de Abreu Rodrigues, PhD, neurocientista, neuropsicólogo, biólogo, historiador, jornalista, psicanalista com pós em antropologia e formação avançada em nutrição clínica. PhD e Mestre em Ciências da Saúde nas áreas de Psicologia e Neurociências pela EBWU na Flórida e tem o título reconhecido pela Universidade Nova de Lisboa; Mestre em Psicanálise pelo Instituto e Faculdade Gaio/Unesco; Pós Graduação em Neuropsicologia pela Cognos em Portugal; Pós Graduação em Neurociência, Neurociência aplicada à aprendizagem, Neurociência em comportamento, neurolinguística e Antropologia pela Faveni do Brasil; Especializações avançadas em Nutrição Clínica pela TrainingHouse em Portugal, The electrical Properties of the Neuron, Neurons and Networks, neuroscience em Harvard nos Estados Unidos; bacharel em Neurociência e Psicologia na EBWU na Flórida e Licenciado em Biologia e também em História pela Faveni do Brasil; Especializações em Inteligência Artificial na IBM e programação em Python na USP; MBA em psicologia positiva na PUC. Membro da SPN – Sociedade Portuguesa de Neurociências – 814; Membro da SBNEC – Sociedade Brasileira de Neurociências e Comportamento – 6028488; Membro da FENS – Federation of European Neuroscience Societies – PT 30079; Contato: [email protected]

Foto de Chinh Le Duc no Unsplash

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.








Fabiano de Abreu Rodrigues é psicanalista clínico, jornalista, empresário, escritor, filósofo, poeta e personal branding luso-brasileiro. Proprietário da agência de comunicação e mídia social MF Press Global, é também um correspondente e colaborador de várias revistas, sites de notícias e jornais de grande repercussão nacional e internacional. Atualmente detém o prêmio do jornalista que mais criou personagens na história da imprensa brasileira e internacional, reconhecido por grandes nomes do jornalismo em diversos países. Como filósofo criou um novo conceito que chamou de poemas-filosóficos para escolas do governo de Minas Gerais no Brasil. Lançou o livro ‘Viver Pode Não Ser Tão Ruim’ no Brasil, Angola, Espanha e Portugal.