Denver troca polícia por especialistas em saúde mental para lidar com casos não violentos.

Resiliência Humana
denver-troca-policia-por-especialistas-em-saude-mental-para-lidar-com-casos-nao-violentos

Denver troca polícia por especialistas em saúde mental para lidar com casos não violentos.

Por Luis Aranguren

A prefeitura de Denver percebeu que as ligações para o 911 que envolviam dramas não violentos estavam sendo mal trabalhados pelos policiais, e então resolveu mudar de estratégia, e começaram a enviar especialistas em saúde mental para os locais, e em pouco tempo, os resultados positivos dessa nova ação foram surgindo.

Há muito tempo que aprendemos sobre a importância da saúde mental, filmes como “O Coringa” nos mostram como é importante que essas pessoas desestruturadas emocionalmente sejam bem cuidadas.

O problema é que nem sempre eles têm essa sorte e e são brutalmente abordados pela polícia local, quando deveriam ser atendidos por profissionais especializados.

Nos Estados Unidos, quando relatados esses casos ao 911, eles costumavam mandar a polícia, que não tem conhecimento terapêutico e usa a violência para impedir ou conter esses “que sofrem com crises emocionais”.

Em Salt Lake City, Utah, houve a situação infeliz de um oficial que atirou em um menino autista de 13 anos enquanto ele estava passando por uma crise.

profissionais-da-saúde-denver
Twitter / Fundação Caring for Denver

Infelizmente, o menino está ferido e seus pais tiveram que abrir um site GoFundMe para pagar suas despesas médicas.

Por este e por outros casos que ocorrem nos Estados Unidos, em Denver, Colorado, o papel dos policiais na sociedade foi repensado.

Por isso, contrataram profissionais de saúde mental, totalmente desarmados e com capacidade para responder a questões que não ameaçam a segurança pública.

Desde 1º de junho deste ano, este novo programa de Resposta de Assistência à Equipe de Suporte (STAR) foi lançado.

Desde o seu lançamento ao público, eles foram capazes de responder a mais de 350 ligações para o 911 relacionadas a necessidades físicas e mentais.

Equipes formadas por profissionais de saúde mental e paramédicos, equipadas para ajudar os necessitados sem o uso da violência.

Pessoas com tendências suicidas, problemas de exposição indecente ou pessoas que simplesmente agem de forma estranha podem ser tratadas.

911-atende-casos-de-violencia-com-especialistas-em-saude-mental
Twitter / Fundação Caring for Denver

Sua abordagem escapa da violência e ajuda os necessitados, eles dão outra opção para situações difíceis de acordo com o The Denver Post. Ao contrário da polícia que tem o dever de proteger o público e nestas situações o melhor que tem é o seu taser e a sua arma de fogo.

“É o futuro da aplicação da lei, de uma perspectiva de saúde pública em segurança pública. Queremos encontrar as pessoas onde elas estão e atender a essas necessidades e atender a essas necessidades fora do sistema de justiça criminal. ”

Isso não só ajuda as pessoas, mas também ajuda a polícia, já que as reclamações de “uso excessivo da força” diminuem claramente. É também fonte de trabalho para quem tem a vocação de ajudar quem mais precisa.

Esperançosamente, este plano continuará a ser aperfeiçoado e emulado em todo o mundo, às vezes pode ajudar muito se a violência for deixada de lado.

*Tradução e adaptação REDAÇÃO RH. Com informações UPSOCL
VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS






COMENTÁRIOS




Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia