Dane-se, por favor!

Sabe, devemos instalar e deixar sempre de prontidão o botão “dane-se!” em nossa vida.

Susiane Canal

Estressamos, envelhecemos antes da hora, adoecemos e nos amargamos por levar as coisas a sério demais. Ora, o que importa, no fim das contas, é estar aqui, é estar vivo, é estar se virando, é ter energia, é seguir adiante, é estar cheio de oportunidades (ainda que não as enxerguemos direito, às vezes).

Ficar matutando hipóteses, frustrando-nos com as coisas que não acontecem, incomodando-nos por qualquer besteira e pirando o cabeção o tempo inteiro pode acabar minando a nossa vida.

Um “dane-se!” ou outro, invariavelmente, é vital. Você não vai conseguir fazer aquela viagem que tanto queria? Dane-se!

O chefe apareceu com uma cara fechada? Dane-se! A conta está no vermelho? Dane-se! O marido não reconhece tudo o que você faz? Dane-se! O seu cabelo está com vontade própria (e bem diferente da sua)? Dane-se! A casa está suja e bagunçada? Dane-se!

Você está querendo emagrecer, mas apareceu um jantarzinho especial? Dane-se! Está caindo uma tempestade e você precisa sair para a rua? Dane-se! Aquela amiga não perguntou mais como você está? Dane-se! A sua vida está uma bagunça danada? Dane-se! Ora, leveza é bom senso, é sanidade, é sobrevida.

Aceitação é chave para a paz interior

Funcionamos muito melhor relaxados. Ainda que os problemas sejam grandes, as soluções aparecem muito mais facilmente quando estamos “de boas” e não brigando com eles, com o mundo, com a vida… Na boa, nada vale a paz e a alegria que temos naturalmente no nosso coração. E aí entra um ensinamento que vale ouro: a aceitação. Dizer sim a tudo como é e a todos como são, nossa, isso muda tudo!

É incrível como a vida se transforma quando passamos a não alimentar mais conflitos interiores, querendo que as coisas sejam diferentes do que são.

É puro gasto inútil de energia querer moldar o mundo à nossa maneira. É uma tarefa impossível que só gera frustração.

Pulemos essa etapa, então, e iremos além, muito além. Vamos transcender essa inquietação, esse descontentamento, esse perfeccionismo e chegaremos a um lugar tão maravilhoso, mas tão maravilhoso que não imaginamos nem nos nossos melhores sonhos…

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Susiane Canal
Servidora Pública da área jurídica, porém estudante das questões da alma. Inquieta e sonhadora por natureza, acha a zona de conforto nada confortável. Ao perder-se nas palavras, busca encontrar um sentido para sua existência.