“Cozinhar é medicina. Cozinhar é uma forma de amar”, escreveu indígena.

Sempre me senti conectada aos indígenas, não importava para mim quais eram suas etnias ou tribos, sempre os reverenciei igualmente, os admiro, os honro e os amo, pois os vejo como meus irmãos.

Sou grata a eles por cuidarem da nossa mãe natureza com tanto respeito e amor. Sou grata aos ensinamentos que me passaram sobre o grande mistério da vida, e sou grata por me mostrarem como é possível viver integrado a natureza, sem a degradar, sem retirar dela, mais do que o necessário.

Há algum tempo, sigo alguns irmãos indígenas, e me deparei com a Rose Kareemi Ponce – Pará Mirim Poty, de origem Guarani, e logo fiquei encantada com seus escritos genuínos e amorosos. Refleti diante de texto, que me chamou a atenção, ela falava sobre a arte de cozinhar.

Tive muitos problemas com a cozinha, acreditava que não sabia cozinhar, que não gostava, e era sempre uma tortura pra mim ter que cozinhar todos os dias.

Depois que os filhos chegaram, ficou impossível não cozinhar, era uma obrigação, e me sentia mal sempre que percebia que não cozinhava com amor.

É claro que, existe um histórico, não fui ensinada a cozinhar com amor, não recebi essa orientação quando criança mas, depois de adulta, posso dizer que, foram os índios que me mostraram como o ato de cozinhar é sagrado.

Posto isso, também quero deixar aqui a minha indignação com o sumiço dos Yanomami`s, e com tudo que vem acontecendo com as tribos indígenas no Brasil.

A maneira que encontrei de homenagea-los foi, compartilhar com vocês, a sabedoria da Rose, com esse texto inspirador.

Mergulhem nesse lindo texto! Que ele te inspire:

“Cozinhar é mais do que alimentar o corpo. Cozinhar é uma forma de amar.

A cozinha é um espaço sagrado na casa, é uma onde o fogo sagrado é aceso para aquecer e transformar alimentos.

Na cozinha acontecem as maiores alquimias, é onde temos o poder de transformar a energia e o humor da casa e de seus habitantes.

As ervas, o açúcar e o sal, podem transmutar e elevar a frequência quando usamos de nosso coração como mestre.

Cozinhar com doçura adoça os corações.

Cozinhar com delicadeza traz paz…

As ervas tem o poder de soltar o riso, acalentar as tristezas, acolher a solidão.

Quando comemos e apreciamos calmamente cada sabor que explode na boca, somos levados a viagens… vamos para a infância, para um lugar especial de nossas vidas ou simplesmente suspiramos aliviados como se algum peso tivesse sido tirado de nós…

Cozinhar é estar com os nossos ancestrais.

Cozinhar é medicina.

Cozinhar é uma benção.

Experimente cozinhar cantando uma doce melodia ou uma alegre canção… Experimente sorrir feliz!

Um bolo…que nem comida é. É carinho com forma …cozinhe…espalhe amor com sabor!”

Rose Kareemi Ponce – Pará Mirim Poty.

Que a partir de hoje, todos nós passemos a cozinhar com amor, e principalmente, que todos nós, busquemos valorizar e cuidar das tribos indígenas, e dos nossos irmãos índios com o amor que eles merecem.

Conheça a Rose, e sigam o seu perfil no Instagram:

*DA REDAÇÃO RH.

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

RECOMENDAMOS









Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia