Coronavírus: “É melhor prevenir do que remediar”.

Idelma da Costa

Coronavírus: “É melhor prevenir do que remediar”.

É tempo de pandemia, de muita prevenção, de bastante paciência e nada de pânico.

Com o tempo tudo se resolve, mas para isso temos que fazer nossa parte, pois a união faz a força.

O mundo globalizou e tudo mudou. Vivemos na Era do conhecimento com muita troca de informações e principalmente com livre e fácil acesso entre todos os países do mundo.

Com o grande trânsito de pessoas, indo e vindo a cada instante, potencializou o risco de pandemias, gerando uma grande crise mundial em todos os sentidos num curto espaço de tempo, tornando-se indispensável e necessário a adoção de medidas eminentes.

Entre essas medidas estão a conscientização da humanidade para os riscos, o que tendo sido alcançada com eficácia, graças à internet.

É de extrema importância a mudança de hábitos, seguindo orientações de órgãos oficiais, como o Ministério da Saúde e as secretarias estaduais e municipais de saúde.

Devemos ficar atentos para não cairmos no FAKE NEWS, pois inúmeras imagens, vídeos e textos com informações falsas estão circulando no Facebook e no WhatsApp.

No mais prevenir no momento é o melhor caminho para se combater o CORONAVÍRUS e nunca é demais lembrar de alguns cuidados tais como:

1) Higienize as mãos.

Lave-as frequentemente com água e sabão. Uma alternativa é o uso do álcool em gel;

2) Cuidado com as próprias mãos:

Não coce, esfregue ou toque os olhos, o nariz ou a boca com as mãos sem lavá-las bem antes;

3) Atenção com a saúde.

Esteja em dia com as vacinas contra gripe e pneumonia, alimente-se bem e beba muita água;

4) Cuidado ao tossir ou espirrar.

Sempre que for tossir ou espirrar, cubra a boca com o antebraço (nunca com a mão). Uma alternativa é usar lenço descartável, mas neste caso é fundamental jogá-lo no lixo imediatamente e em seguida lavar bem as mãos.

5) Cuidado com objetos.

Não compartilhe objetos pessoais, como pratos, talheres, canudos, copos e até mesmo o celular. Após utilizar utensílios, lave-os com detergente.

6) Cuidados com a casa.

Sempre que possível, deixe as janelas de casa abertas para favorecer a circulação do ar. Segundo a OMS, estudos indicam que o coronavírus é transmitido principalmente pelo contato com gotículas respiratórias – e não pelo ar. Limpe e desinfete superfícies que muitas pessoas tocam, como maçanetas de porta;

7) Evite lugares cheios.

Evite aglomerações. Se precisar usar o transporte público, se possível, dê preferência aos horários de menor movimento;

8) Fique atento ao redor.

Evite apertos de mão e abraços. Procure manter, no mínimo, 1 metro de distância de pessoas com sintomas de gripe;

9) Preste atenção em você.

Se estiver com febre, tosse e dificuldade em respirar, procure um médico ou uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

10) Atendimento Especializado.

Em algumas cidades foi instalado um Centro Especializado em Covid-19, para atendimento a pessoas sintomáticas que estiveram no exterior ou que tenham tido contato direto com pessoas que vieram do exterior.

11) Afaste-se das crianças.

O alerta é doloroso, mas é muito importante. As crianças se contaminam na mesma proporção dos adultos, porém, elas não apresentam os sintomas típicos. Sem sinais perceptíveis, avós e avôs que tiverem contato com netos infectados correm graves riscos de contrair o coronavírus;

É melhor prevenir do que remediar. Essa é a ordem num momento tão sério como este em que vivemos.

No mais, vamos ter fé e esperança de que em breve tudo volte à normalidade.

COMPARTILHAR




COMENTÁRIOS




Idelma da Costa
Idelma da Costa, Bacharel em Direito, Pós Graduada em Direito Processual, Gerente Judicial (TJMG), escritora dos livros Apagão, o passo para a superação e O mundo não gira, capota. Tem sido classificada em concursos literários a nível nacional e internacional com suas poesias e contos. Participou como autora convidada do FliAraxá 2018 e 2019 e da Flid 2018.