Conviver com alguém que nega os próprios defeitos é extramente desgastante!

Conviver com um parceiro, que nega tudo e dificulta a boa convivência, é desgastante. Em média, esse comportamento é muito comum em perfis passivo-agressivos.

Pessoas que não reconhecem os próprios erros dificultam a convivência, eles transforma tudo ou quase tudo em problema.

São definidos por um tipo de atitude negativa, hostil e tendendo, quase sempre, ao conflito. Agora, o mais complicado é que na maioria dos casos eles apresentam um comportamento passivo-agressivo. Com isso, muitas dessas ações são quase sempre encobertas de engenhosos truques de manipulação.

Isso significa que, sempre que fizermos uma proposta ou tentarmos resolver uma situação específica, eles evitarão qualquer responsabilidade. Isso faz com que o relacionamento fique cheio de questões não resolvidas. E a relação se torna cansativa e desgastante.

Conviver com alguém que nega a verdade é ter alguém que nos anula constantemente.

Em alguns casos, romper o relacionamento é evitar sofrimentos, dores de cabeça e ataques à autoestima.

Em outros casos, podemos estar diante de um tipo de personalidade que fomenta o abuso, a hostilidade e o desprezo. Identificar esses traços, logo de início pode ser crucial.

Características que os definem

Comunicação imatura e hostil. Esta é a principal evidência de casais obstrucionistas. Não raciocinam, não ouvem, não expressam o que querem e usam o silêncio como punição.

Negação constante. Esses perfis são muito hábeis em distorcer a realidade. Diante de qualquer problema ou situação complicada, eles optam por mentir, minimizar as coisas e fugir de qualquer responsabilidade.

Esquecimento voluntário. Uma característica dos casais obstrucionistas é o esquecimento premeditado. Quando algo lhes é pedido, quando se espera que ajam ou assumam a responsabilidade por uma tarefa específica, sempre acabarão experimentando um esquecimento súbito.
Ambiguidade como resposta. Caso sejam obrigados a tomar uma decisão ou esclarecer algum aspecto, optam por “ sim, mas não e não, mas sim ”. Essa ambiguidade torna a convivência completamente difícil.

O bloqueio constante. É quase impossível dar qualquer passo ou fazer planos com um parceiro obstrucionista. Eles veem falhas em tudo e, embora não nos digam claramente que não querem algo, no final acabam tirando nosso desejo por quase tudo.

Incompetência em quase todas as áreas. A pessoa que evita qualquer tipo de responsabilidade navega para a eterna incompetência. São figuras que não podem ser confiáveis ​​em quase nenhum aspecto. Deixam tudo pela metade, delegam para os outros e procrastinam um dia e o outro também.

O comportamento de oposição e obstrução pode ser outro traço de personalidade ou a característica de um distúrbio psicológico, como ansiedade ou depressão.

Estamos diante de um perfil claramente problemático que está ligado a humores e cognições negativas. Muitas vezes, essa tendência comportamental faz parte do próprio temperamento ou personalidade inata da pessoa. No entanto, como apontamos no início, esse negativismo pode ser a causa da depressão ou de um transtorno de ansiedade.

Em vez de criticar os modos do parceiro agir, é melhor conscientizá-lo sobre o efeito de seus comportamentos.

Como agir quando nosso parceiro nega a verdade diante dos seus comportamentos negativos?

Quando nos deparamos com um casal com quem é difícil se comunicar, que nega as coisas e evita responsabilidades, devemos ter cuidado. Porque diante desse perfil, discussões, pedidos de atenção ou ultimatos não funcionam. Normalmente, somos nós que perdemos a paciência e a coragem.

É preciso agir de forma assertiva, indicando claramente para a pessoa que há um problema no relacionamento.

É necessário descrever quais são os comportamentos que nos prejudicam e não gostamos. Ao invés de culpar a pessoa, devemos focar no que ela faz e não tanto no seu jeito de ser.

Conviver é uma arte, e é preciso que o amor seja maior do que a dor.

Esteja preparado para estabelecer limites.

É importante deixar claro o que estamos dispostos a tolerar e o que não estamos. Vamos tentar ter em mente que esse tipo de perfil nem sempre vai reconhecer o que está acontecendo, mas é fundamental que você reconheça com quem está lidando .

Podemos sugerir que você solicite apoio psicológico. Se não houver progresso ou desejo expresso de mudança, devemos tomar a decisão de romper com o relacionamento.

Quem obstrui a convivência não sabe construir uma relação de casal digna e feliz.

*DA REDAÇÃO RH. Com informações LMM. Foto de Wesley Balten no Unsplash.

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

RECOMENDAMOS









Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia